Acesse:http://www.midiams.com.br/noticia/saude/escova-tesoura-e-navalha-podem-transmitir-hepatite-e-ate-aids/71964

Uso de lâminas sem a devida higienização pode trazer problemas de saúde como hepatite C, infecções bacterianas e até mesmo Aids

Salões de beleza parecem ser inofensivos, mas podem ser uma fonte de riscos à saúde. Usar escovas de cabelo, tesouras, navalhas e alicate para unhas sem à devida higienização pode transmitir hepatite e até HIV, de acordo com especialistas.

De acordo com a dermatologista Fernanda Carrilho de Menezes, se a escova ou o pente estiver contaminado, poderá transmitir micose.

“Escovas, pentes e prendedores de cabelo, se não higienizados de maneira correta, podem transmitir doenças, como micoses, piolhos e sarna”.

O uso de lâminas sem a devida higienização pode trazer problemas de saúde como hepatite C, infecções bacterianas e até mesmo Aids para o cliente, explica a dermatologista.

Isso acontece porque o corte do objeto pode provocar feridas com sangue. As lâminas e agulhas são de uso único, sem possibilidade de reutilização, por isso, devem ser colocadas em recipiente apropriado, de paredes rígidas, devidamente identificado como resíduo infectante.

A terapeuta capilar ainda alerta que os homens que fazem a barba devem checar atentamente sobre a higienização do material que será utilizado.

Os objetos cortantes ou perfurantes contaminados com sangue podem ser um risco. Isso acontece se o aparelho for utilizado em um soropositivo que fez um corte e, logo em seguir, for usado em outra pessoa que também sofrer um corte acidental.

Qualquer tipo de escova, seja ela metálica,de  porcelana, de plástico ou almofadada, deve ser higienizada corretamente, principalmente quando usada de forma compartilhada, explica a terapeuta capilar.

Segundo a terapeuta capilar Sandra de Assis Maia, é recomendado que a limpeza seja feita por meio da lavagem com água e detergente, tanto nas escovas quanto nos pentes.

Só é possível pegar doenças capilares quando há contato direto com o couro cabeludo. No caso do lavabo, a pessoa está mais propícia a ter uma doença de pele, segundo Sandra.

De acordo com a terapeuta, algumas pessoas vão de bermudas para o salão e, com isso, o contato da pele com cadeiras e lavabos pode ocasionar doenças de pele. O correto é sempre o profissional passar um pano com álcool após o uso do lavabo.

A inalação do produto pode causar câncer no aparelho respiratório, dor de garganta, irritação do nariz, tosse, diminuição da frequência respiratória, irritação e sensibilização do trato respiratório, conforme explica a terapeuta capilar.

A progressiva também pode causar graves ferimentos nas vias respiratórias, levando ao edema pulmonar e pneumonia. O contato com a pele (couro cabeludo) causa irritação, dor e queimaduras.

De acordo com a dermatologista, as pessoas poderão contrair micoses.

Ao fazer as unhas, a utilização da bacia, sem que haja proteção de um saco plástico, pode acarretar micoses, também conhecidas como frieiras. Além da bacia, é fundamental que haja cuidado quanto à toalha. Cada cliente deve ter a sua. Para que as pessoas se protejam destes perigos é interessante que cada pessoa tenha o seu kit de manicure/pedicure.

Piolhos não passam com pentes e escovas, mas podem ser pegos no compartilhamento de vestimentas, ou seja, as capas utilizadas na hora de cortar o cabelo, explica a especialista Sandra.

Curiosidades na internet