Agora é possível verificar online e gratuitamente se seu nome está sujo

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/internet/Agora-e-possivel-verificar-online-e-gratuitamente-se-seu-nome-esta-sujo/

Contas

Finalmente os consumidores poderão realizar uma consulta online e gratuita ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), em que é possível saber se existe alguma restrição em seu nome. Até então o serviço só era realizado pessoalmente ou mediante pagamento para empresas não oficiais de consulta.

Para verificar se está com o nome sujo na praça, basta entrar no site do Portal Boa Vista Consumidor Positivo, selecionar a opção ‘Consulta de Débito’ e, caso ainda não possua cadastro no site, realizar a inscrição rapidamente. A novidade foi possível graças a uma iniciativa da Boa Vista Serviços, administradora do SCPC.

Consultar nome sujo no SPC

O novo serviço online – menos burocrático – ajuda os consumidores a descobrir por meio de alguns cliques quais são as empresas que devem procurar para acertar seus débitos e regularizar sua situação. Isso elimina a necessidade de contratar empresas terceirizadas, por exemplo, para realizar o serviço.

Inclusive, o próprio ‘Portal Boa Vista Consumidor Positivo’ traz dicas de renegociação de dívidas com educação financeira por meio da página ‘Acertando suas Contas‘. Existem diversas outras dicas interessantes no site para manter as contas em dia e evitar que seu nome acabe sujo; vale a pena conferir.

Curiosidades na internet

Conheça os cliques de Alexandre Buisse, feitos durante voos de parapente

Acesse:http://www.techtudo.com.br/curiosidades/noticia/2013/06/conheca-os-cliques-de-alexandre-buisse-feitos-durante-voos-de-parapente.html

O fotográfo profissional Alexandre Buisse é especialista em montanhas, mas seu último trabalho une a captura de lindas imagens de outro de seus passatempos: o parapente. As fotos foram feitas em paisagens na França e Itália.
Fotógrafo Alexandre Buisse é especialista em montanhas, mas também faz fotos aéreas (foto: Divulgação)Fotógrafo Alexandre Buisse é especialista em montanhas, mas também faz fotos aéreas (Foto: Alexandre Buisse)

Como Buise mora em um local alto, ele estima que pratica o esporte cerca de duas vezes por semana. Para as fotos, ele usa uma Nikon D4 ou D800, equipadas com lentes 16-35mm f/4 VR.

O fotógrafo explica que tem que soltar os controles do parapente quando precisa fazer uma foto e isso faz com que o equipamento voe em velocidade máxima. Mas, às vezes, ele prefere segurar ambos com a mão esquerda para fotografar com a direita.

Vista aérea de Pinzolo, Trentino. (foto: Divulgação)Vista aérea de Pinzolo, Trentino (foto: Alexandre Buisse)

Para criar as imagens, ele prefere usar uma abertura pequena, como f/8 e f/11, além de velocidade entre 1/500 ou 1/1000. Buise tira várias fotos com o modo de captura múltipla, já que elas tendem a sair fora de foco ou com enquadramento ruim.

Outras fotos de parapente estão disponíveis no site de Buisse

Curiosidades na internet.

Aprenda a usar o foco manual de sua câmera para obter melhores cliques

Acesse:http://www.techtudo.com.br/artigos/noticia/2013/03/aprenda-usar-o-foco-manual-de-sua-camera-para-obter-melhores-cliques.html

Aprenda a utilizar o foco manual e garanta a nitidez dos detalhes mais importantes de suas fotografias.

Imagem de banco de madeira com lago e vegetação ao fundo (Foto: Adriano Hamaguchi)Bom exemplo de uso do foco manual: imagem de banco de madeira com lago e vegetação ao fundo (Foto: Adriano Hamaguchi)

Não podemos negar que os ajustes automáticos facilitam a vida do fotógrafo, mas existem situações em que o foco automático não funciona como o esperado. Esta limitação é evidente quando fotografamos em ambientes escuros, por exemplo.

Outra situação é quando há objetos entre a câmera e o motivo principal de sua composição. A câmera não tem ideia do que sua mente criativa está planejando, e o sistema automático foca o objeto mais próximo que encontrar. Na imagem abaixo, isto faria com que a ave ficasse fora de foco e os ramos próximos da câmera nítidos.

Imagem de ave camuflada em vegetação (Foto: Jeff Morgan)Imagem de ave camuflada em vegetação (Foto: Jeff Morgan)

Por outo lado, quando você quer capturar a espontaneidade de uma cena, o tempo necessário para o ajuste manual do foco pode ser inconveniente, e você perde o momento ideal do clique. Veja a seguir um resumo sobre as principais indicações de uso do foco automático ou manual.

Quadro com relação das melhores ocasiões para usar o foco automático, à esquerda, e o foco manual, à direita (Foto: Reprodução)Quadro com relação das melhores ocasiões para usar o foco automático, à esquerda, e o foco manual, à direita (Foto: Reprodução)

Minha câmera possui foco manual?

Se você tem uma câmera DSRL, com certeza. As câmeras superzoom e as compactas mais avançadas também contam com este recurso. Confira alguns modelos de câmeras compactas que possuem o foco manual.

Imagem de câmeras digitais compactas que possuem o modo "foco manual" (Foto: Divulgação)Imagem de câmeras digitais compactas que possuem o modo foco manual (Foto: Divulgação)

Como usar o foco manual em câmeras compactas e superzoom

Em alguns modelos, basta pressionar botões específicos para acionar o foco manual. Caso a câmera não tenha o botão “MF”, é preciso utilizar o menu de configuração.

Imagem de uma câmera digital compacta com destaque para o botão MF, à esquerda, e menu de seleção do tipo de foco à direita (Foto: Divulgação)Imagem de uma câmera digital compacta com destaque para o botão MF, à esquerda, e menu de seleção do tipo de foco à direita (Foto: Divulgação)

Confirme se a câmera está operando no modo manual. No visor, procure pelo ícone MF (“manual focus”). Utilize as setas, o anel giratório ou o “joystick” da câmera para configurar o foco.

A barra que aparece na tela representa a distância que você está focando. Aproximando o ponto de ajuste do símbolo “infinito”, o que estiver distante será focado, e do símbolo da “flor”, o que estiver mais próximo será focado.

Tela de configuração do foco manual, à esquerda, botão de ajuste de zoom no meio, e assistente de foco manual à direita (Foto: Divulgação)Tela de configuração do foco manual, à esquerda, botão de ajuste de zoom no meio, e assistente de foco manual à direita (Foto: Divulgação)

As câmeras têm uma espécie de “zoom auxiliar de foco”. Quando você estiver configurando o foco, a câmera irá mostrar a região da imagem ampliada para te ajudar a acentuar a nitidez. A qualidade e a resolução do display da câmera influenciam na qualidade exibida.

Como usar o foco manual em câmeras DSRL

Utilize a chave seletora da lente e alterne para o modo MF (“Manual focus”), ou M (“Manual”), conforme o manual de seu equipamento.

Imagem da chave seletora de foco configurada no modo manual em lente, à esquerda, e no corpo de câmera DSRL, à direita (Foto: Divulgação)Imagem da chave seletora de foco configurada no modo manual em lente, à esquerda, e no corpo de câmera DSRL, à direita (Foto: Divulgação)

Nas DSRL que possuem a chave de seleção no corpo da câmera e na lente, a configuração que prevalece é a da lente. As lentes que possuem o modo “M/A”, a configuração que prevalece é a do corpo da câmera.

Para configurar o foco manual, gire o anel de foco na lente. A posição do anel varia de acordo com o modelo e marca. As unidades de medidas empregadas são metro (m) e pés (“ft”).

Imagens do anel de foco da lente sendo ajustado por fotógrafo (Foto: Reprodução/Carl Zeiss Lenses e PhotographersOnUTube)Imagens do anel de foco da lente sendo ajustado por fotógrafo (Foto: Reprodução/Carl Zeiss Lenses e PhotographersOnUTube)

Atenção! Não gire o anel de foco se a lente não estiver no modo “foco manual”. Isto pode danificar o motor da lente.

Focando o que está distante

Confira no comparativo abaixo duas imagens de uma piscina semiolímpica, em que focamos as rais mais distantes.

Imagem de nadadora em piscina semi olímpica com raias (Foto: Adriano Hamaguchi)Imagem de nadadora em piscina semiolímpica com raias (Foto: Adriano Hamaguchi)

Na imagem da esquerda, utilizamos a abertura F/8 (maior profundidade de campo), proporcionando maior nitidez em toda a imagem, apesar de focarmos as raias mais distantes. Usamos uma velocidade velocidade de 1/30 de segundo, e isto fez com que a imagem da nadadora ficasse “arrastada”.

Na imagem da direita, utilizamos a abertura F/3.5 (menor profundidade de campo), o que criou um aspecto mais “embaçado” no que está mais distante do ponto em que focamos. A velocidade maior, de 1/125 de segundo, permitiu capturar o nadador com mais nitidez.

Focando o que está mais próximo

Para destacar a pessoa (ou animal) de seus retratos, foque os olhos e utilize uma abertura grande para diminuir a profundidade de campo e obter o efeito “fundo desfocado”. Na imagem abaixo, por exemplo, o fotógrafo utilizou uma abertura de 2.8/F.

Imagem de cachorro fotografado com alto ISO e curta profundidade de campo (Foto: Andreas Krappweis)Imagem de cachorro fotografado com alto ISO e curta profundidade de campo (Foto: Andreas Krappweis)

Confira a matéria do TechTudo que explica como obter bons retratos fotografando com foco

Continue lendo…clique aqui…

Curiosidades na internet

Vídeo: Você sabe o que é e como funciona um Datacenter?

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/internet/Video-Voce-sabe-o-que-e-e-como-funciona-um-Datacenter/

Data center google

Quando navegamos na internet e acessamos um site, nem pensamos no que existe por trás de cada um dos nossos cliques, ou o que faz com que esse monte de informações pule na nossa tela instantaneamente. Mas para garantir o funcionamento 24 horas por dia de todo esse conteúdo, os sites são armazenados dentro de um ou mais servidores, que são computadores de alta capacidade. Chamados de Datacenters, eles são os grandes responsáveis pela Internet funcionar sem problemas.

Fizemos um vídeo para você entender mais sobre a estrutura necessária para manter um Datacenter funcionando sem parar e como as empresas que trabalham com eles atuam. Confira!

 Curiosidades na internet

Acessório ClearViewer adiciona um visor a qualquer câmera digital

Acesse:http://www.techtudo.com.br/curiosidades/noticia/2012/11/acessorio-clearviewer-adiciona-um-visor-qualquer-camera-digital.html

Um novo acessório chamado ClearViewer promete resolver o problema de quem possui câmeras digitais sem visor. O aparelho é uma espécie de visor encaixável, produzido para “aumentar” a tela LCD para que o usuário possa enxergar detalhes do que está fotografando.

ClearViewer (Foto: Reprodução) (Foto: ClearViewer (Foto: Reprodução))ClearViewer, um visor que se adapta a qualquer câmera (Foto: Reprodução)

Como a maior parte das compactas não apresenta visor ótico, os cliques são feitos tomando apenas como base a tela LCD traseira. Ela é útil pois exibe como a foto vai realmente ser, mas dificulta enxergar detalhes. O ClearViewer consiste em uma lente de alta dioptria em um suporte dobrável que permite que o fotógrafo enxergue perfeitamente todos os detalhes mostrados pela tela.

O acessório vem em dois modelos diferentes – um que é preso na entrada de tripé e outro que é preso na zapata para flash externo. Como é um aparelho muito simples, o preço é bem camarada – de US$ 35 a US$ 53 (de R$ 70 a R$ 100, em conversão direta). Você pode encontrar o ClearViewer à venda no site oficial do fabricante.

Curiosidades na internet

Conheça a Camer-ing, uma câmera conceito para ser usada como anel

Acesse:http://www.techtudo.com.br/curiosidades/noticia/2012/10/conheca-a-camer-ing-uma-camera-conceito-para-ser-usada-como-anel.html

Os designers Hyeonsik Studio e Jeon Yengwon criaram um conceito de câmera para ser usada como anel. A Camer-ing – nome que brinca com as palavras câmera e anel (“ring”, em inglês) – deve ser usada no dedo indicador e pode ser acionada com um simples toque do polegar em seu único botão. O projeto prevê que o gadget seja usado junto com um tablet, para que se possa visualizar as fotos.

camer2 (Foto: camer2)Camer-ing (Foto: Reprodução)

Os grandes diferenciais dessa câmera conceito são a leveza e a praticidade. Carregar a câmera no dedo pode gerar cliques inusitados que não poderiam ser feitos com uma câmera normal. Além disso, ela é discreta e ideal para tirar fotos sem ser percebido. Por enquanto, a Camer-ing é apenas um conceito e não há previsão para que seja fabricada.

camer1 (Foto: camer1)Câmera em formato de anel poderia ser usada em conjunto com um tablet para visualização de fotos (Foto: Reprodução)

 

Curiosidades na internet

Quatro formas de arrumar o botão home do seu iPhone

Acesse:http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/quatro-formas-de-arrumar-o-botao-home-do-seu-iphone-20121005.html?question=0

Dicas rápidas para você consertar o defeito mais comum do aparelho da Apple

iphoneGetty Images

Se você não quer levar o aparelho até a assistência, há quatro dicas que podem resolver o problema! Confira:

Steve Jobs foi visionário ao imaginar um smartphone com apenas um botão e uma tela completamente sensível ao toque. OK, mas o genial diretor da Apple não deve ter previsto a dor de cabeça que o tal botão home poderia causar nos usuários do iPhone depois de tantos cliques.

 

Verdade seja dita, o celular também conta com dois botões de volume e um botão para ligar/desligar. Só que o home é o único preparado para interagir com os apps no smartphone. Se você não quer levar o aparelho até a assistência, há quatro dicas que podem resolver o problema (pelo menos, temporariamente). Pronto para começar?

Primeira tentativa: Calibrar o botão
Se você tiver sorte, os problemas de resposta do seu botão home são apenas um escorregão do software. Nesse caso, tudo que você tem a fazer é apenas abrir um dos aplicativos nativos do sistema, como o relógio, por exemplo.

Aperte e segure o botão de dormir, até que a mensagem “desligar” apareça. Depois disso, solte o botão de dormir e segure o botão home. Após 5 ou 10 segundo o aplicativo vai fechar. Pronto, problema resolvido.

Segunda tentativa: Alinhando o conector
Há uma chance de que o uso frequente da saída de força do seu aparelho tenha desalinhado a estrutura do botão home. O simples ato de colocar e tirar o conector pode deixado a estrutura fora do lugar, ocasionando o mau contato do botão. Para resolver: plugue o cabo USB no seu iPhone e, gentilmente, puxe o cabo conector de forma que ele empurre para baixo o botão home. Enquanto você faz pressão, clique no botão home. Remova o cabo e confira se o problema persiste.

Terceira tentativa: Hora da faxina
Acredite: refrigerante espirrado, mãos engorduradas e o fundo do seu bolso sujo podem danificar o botão home do seu iPhone. Neste caso o conserto é mais simples: basta um pouco de álcool isopropílico com 98% de água. Ele é vendido em lojas especiais e serve para a limpeza de componentes eletrônicos.

Usando um cotonete ou conta-gotas, aplique duas ou três gotas do álcool diretamente no botão home – tente evitar o contato do material com a tela do seu iPhone. Então, usando um objeto estreito, como a borracha da parte de trás de um lápis, aperte o botão home para que o álcool se infiltre pela fresta. Funcionou?

Tentativa quatro: Botão home virtual na tela do iPhone
Se nenhuma das dicas anteriores funcionou, esta também não vai trazer o seu botão home de volta dos mortos. Mas, se você está sem grana para trocá-lo na assistência técnica, existe uma dica salvadora. Usando as opções de acessibilidade, você pode criar uma versão virtual do botão home.

Faça o seguinte, vá até o menu Ajustes>Geral>Acessibilidade e ative a opção Assistive Touch. Agora você vai perceber que a sua tela ganhou uma bolinha no canto. Funciona como um botão de menu, sempre que você apertá-la verá quatro opções: início, dispositivo, favoritos e controle por voz. Você pode mudar a localização do menu na sua tela, para que ela não atrapalhe a navegação na internet, por exemplo.

Não é uma solução definitiva e está longe de ser o ideal, mas já te dá um tempo extra até a chegada do iPhone 5 aqui no Brasil.

Curiosidades na internet