iPad Air e iPad mini com tela Retina são homologados pela Anatel

Acesse:http://tecnoblog.net/144708/ipad-air-ipad-mini-retina-anatel/

 Os novos iPads começaram a ser vendidos em 40 países no dia 1º de novembro. Ainda não há data de previsão para lançamento no Brasil, mas eles já estão liberados para comercialização no país. Conforme notado pelo MacMagazine, iPad Air e iPad mini com tela Retina foram homologados pela Anatel na semana passada.

 

Os modelos que passaram pela Anatel são o A1474 (iPad Air) e o A1489 (iPad mini com tela Retina), ambos com Wi-Fi. As versões com 4G ainda não foram homologadas. Na página da Apple, é possível notar que os iPads com suporte ao LTE brasileiro são os mesmos que estão sendo comercializados nos EUA, então é bem provável que os modelos A1475 e A1490 apareçam em breve por aqui.

ipad-mini-anatel

No certificado de conformidade técnica dos iPads homologados pela Anatel constam duas unidades fabris: além da fábrica da Foxconn na China, há a unidade de Jundiaí, no interior de São Paulo. Isso significa que os novos iPads podem, talvez, quem sabe, serem produzidos no Brasil – normalmente, os primeiros lotes são importados.

anatel-ipad-mini

Nos EUA, o  Foxconn omeçou a ser vendido pelo mesmo preço do modelo anterior, começando em US$ 499 pela versão com Wi-Fi e US$ 629 pelo 4G, ambos com 16 GB de armazenamento interno. O iPad mini com tela Retina custa a partir de US$ 399 (Wi-Fi) e US$ 529 (4G

Curiosidades na internet

HTC One: o ‘melhor smartphone do mundo’ não funciona no Brasil

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/htc/HTC-One-o-melhor-smartphone-do-mundo-nao-funciona-no-Brasil/

HTC One

Em fevereiro, a HTC apresentou ao mundo o ‘HTC One’, um aparelho poderoso, elegante e com detalhes que podem fazer a diferença. Porém, os brasileiros não terão como utilizar o aparelho no país, nem mesmo se importarem um.

O que acontece é que no ano passado a HTC encerrou suas atividades por aqui, e a Anatel dá certas prioridades para empresas que estão estabelecidas formalmente no Brasil. A homologação do aparelho não está nem na lista da Agência, que deve cortar de vez o barato de quem pretende trazer o dispositivo de outro país. Isso porque a Anatel está pressionando as operadoras de telefonia móvel brasileiras para que tomem medidas  enérgicas contra o uso de celulares não homologados.

Quem arriscar a importação de um HTC One corre o risco de ficar com uma bela câmera fotográfica, mas em breve não deve mais conseguir realizar ligações, pois a reguladora estabeleceu o prazo máximo de um ano para que as operadoras se unam na construção de um sistema capaz de identificar e bloquear o uso dos aparelhos ilegais no país.

O que estamos perdendo?

O HTC One é um aparelho com sistema Android construído em metal, diferente do plástico usado no Samsung Galaxy S4, por exemplo. Além disso, o destaque maior fica por conta da câmera de 8MP. Na verdade, o que realmente chama a atenção é a qualidade distribuída nesses pixels.

Uma tecnologia chamada ‘Ultra Pixel’ é capaz de ampliar os pixels e absorver cerca de três vezes mais a luz natural na hora de capturar uma imagem. O recurso é ideal para a captação de fotos em ambientes com baixa luminosidade e ainda é capaz de compactar todas as fotos produzidas com a câmera do smartphone para uma resolução de no máximo 4 megapixels.

O HTC One é equipado com display touchscreen LCD de 4,7 polegadas com resolução de 1080p, garantindo densidade de 468 pixels por polegada, processador Qualcomm Snapdragon 600 de 1,7 GHz, 2GB de memória RAM, duas versões de armazenamento de 32GB ou 64GB, Bluetooth 4.0, suporte para tecnologia NFC (Near Field Communication), Wi-Fi, roda o Android Jelly Bean 4.1.2 e possui bateria de 2.300 mAh. Nos Estados Unidos, o aparelho custa US$ 200 com um contrato de dois anos com a operadora de telefonia.

Curiosidades na internet

Groupon é expulso de comitê de compras coletivas do varejo online

Acesse:http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/groupon-e-expulso-de-comite-de-compras-coletivas-do-varejo-online-20121010.html

Expulsão ocorreu após empresa ter continuado a ofertar venda de smartphones, tablets e celulares não homologados pela Anatel

O Groupon, maior companhia do mundo de compras via cupons de desconto, foi excluído por unanimidade do Comitê de Compras Coletivas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) por veicular ofertas em desrespeito às normas da comissão.

Segundo a camara-e.net, a expulsão ocorreu após o Groupon ter continuado a ofertar a venda de smartphones, tablets e celulares não homologados, apesar de ter sido notificado duas vezes pela entidade para interromper a distribuição.

“Estas ofertas desrespeitam as normas regulatórias vigentes, previstas no regulamento (…) da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)”, afirmou a entidade, em nota.

“Mesmo após o recebimento de notificações, o site continuou publicando ofertas que violavam artigo do Código de Defesa do Consumidor e, consequentemente, o Código de Ética e Autorregulamentação do Comitê de Compras Coletivas”, acrescentou.

O Groupon não pode ser contatado imediatamente para comentar o assunto.

As companhias que integram o Comitê de Compras Coletivas, criado em junho de 2011, aprovaram e aderiram ao código de ética e autorregulamentação do setor há pouco mais de um ano. Com a expulsão, o Groupon ficará sem selo de “excelência” do comitê.

Atualmente, os sites que seguem as normas de condutas adequadas para atuação no sistema de compras coletivas são ClickOn, Cupónica, Imperdível, Peixe Urbano e Viajar Barato.

A decisão do comitê ocorre em meio à crescente fiscalização por parte de órgãos de defesa do consumidor em relação a sites de comércio eletrônico, com suspensão de atividades especialmente por conta de atrasos na entrega de produtos.

A líder do setor B2W, dona dos sites Americanas.com, Submarino e Shop Time, tem sido um dos principais alvos do Procon-SP, que recebeu 6.233 reclamações contra a empresa no ano passado, quase três vezes mais que em 2010. A maioria das reclamações envolvia falta de entrega do produto ou defeito no item adquirido.

Ainda assim, o setor vem caminhando a passos largos. No primeiro semestre, o faturamento do comércio eletrônico no Brasil somou 10,2 bilhões de reais, alta anual de 21 por cento.

Curiosidades na internet