LinkedIn permite ‘seguir’ usuários sem precisar adicionar aos contatos

Acesse:http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2014/02/linkedin-permite-seguir-usuarios-sem-precisar-adicionar-aos-contatos.html

O LinkedIn recebeu uma nova função na quarta-feira (19) em que usuários da rede social de perfis profissionais podem “seguir” pessoas que não conhecem e ter acesso às publicações, sem precisar adicioná-las às suas redes de contatos. A novidade está disponível somente para quem tem perfil em inglês no site, por enquanto, mas será lançada mundialmente “nas próximas semanas”.

Facebook sabe quando você vai começar a namorar; veja pesquisa

Novidade para "seguir" chegou ao LinkedIn em inglês (Foto: Reprodução/Aline Jesus)Novidade para “seguir” chegou ao LinkedIn em inglês (Foto: Reprodução/Aline Jesus)

O LinkedIn é uma rede social voltada para contatos profissionais. O site tem um sistema para adicionar pessoas semelhante ao do Facebook e ao do Google+: é preciso enviar pedidos de amizade para que o usuário faça parte da sua rede. Assim, é possível interagir e receber suas atualizações no feed de notícias.

Mas agora, será possível receber as atualizações postadas, somente seguindo as pessoas, sem precisar adicioná-las aos seus contatos. A função de “seguir” um profissional já tinha sido lançada pela página Influencers, que reúne 500 personalidades de diferentes setores, com nomes como Barack Obama.

As postagens recebem, em média, 31 mil visualizações, mais de 200 curtidas e cerca de 80 comentários de usuários da rede.

O sucesso dessa iniciativa inspirou o LinkedIn a lançar a funcionalidade nas páginas dos usuários “comuns” também. Por enquanto, o recurso só funciona em perfis com o idioma inglês. Mas, nem todas as pessoas serão agraciadas, por enquanto, com o “seguir” no LinkedIn: segundo o site The Next Web, só 25 mil usuários apresentam a função nestes primeiros dias do anúncio.

Lembrando que a função de “seguir” já está disponível no LinkedIn, em português, para os perfis de algumas personalidades influentes, como Bill Gates. A novidade está na ampliação do recurso para os demais usuários

Curiosidades na internet

Twitter se torna fonte importante na busca por emprego

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/pro/noticia/38678/38678

(Foto: Reprodução)
Enquanto o Linkedin se destaca como maior rede social corporativa e ajuda uma porção de internautas a se posicionar no mercado de trabalho, o Twitter corre por fora e, mesmo sem plataformas específicas para isso, tem conseguido arrumar emprego para muita gente.

A cada mês um número superior a 500 mil anúncios de emprego são feitos por empresas através do Twitter, segundo levantamento da Gozaik. São mais de 15 novas vagas a cada minuto.0,

Em seis meses a média de empregos postados na rede de microblogs cresceu perto de 32%, sendo que até o fim de 2014 o total de vagas divulgadas por ali chegará aos 2 milhões por mês.

Segundo a Gozaik, que é especializada em análises de recrutamento pelo Twitter, existe diversidade quanto às oportunidades. Tanto que embora mais de 24% das vagas sejam relacionadas a TI, quase 15% têm a ver com saúde e saúde dental.

Curiosidades na internet

Bill Gates e Mark Zuckerberg vão ensinar programação de graça na internet

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/software/Bill-Gates-e-Mark-Zuckerberg-vao-ensinar-programacao-de-graca-na-internet/

Bill Gates

Enviar por Email

Grandes nomes da tecnologia querem levar a programação para você e todos os usuários do mundo, de uma forma mais rápida e simples. É com esse objetivo que a organização não governamental Code.org se apresenta para tornar cursos de informática mais relevantes nas escolas. As informações são do site The Verge.

Entre os dias 9 e 15 de dezembro, o grupo fará uma campanha chamada “Hour of Code”, uma iniciativa em escala mundial que vai acontecer durante a Semana da Educação da Ciência da Computação. Bill Gates, da Microsoft, Mark Zuckerberg, do Facebook, Jack Dorsey, do Twitter, e Gabe Newell, da Valve, já confirmaram suas participações no evento, que deve atingir até 10 milhões de pessoas.

Os executivos darão aulas de programação nos dias da conferência, que estarão disponíveis na internet e poderão ser completadas em tablets, smartphones ou até mesmo no modo off-line. A entidade afirma que não é necessária nenhuma experiência na área, pois todo o conteúdo funciona como uma espécie de introdução para desmistificar os códigos e permitir que cada pessoa aprenda no seu ritmo.

As aulas vão ensinar, por exemplo, desde o desenvolvimento de cartões animados até quebra-cabeças para mostrar os princípios básicos da programação.

A Code.org afirma que o número de vagas na área de tecnologia já é três vezes maior que a quantidade de estudantes formados em Ciência da Computação. Além disso, aponta que essa é uma das carreiras mais bem pagas no mercado de trabalho. A expectativa é de que, até 2020, um milhão de vagas não sejam preenchidas na indústria – isso só nos Estados Unidos.

“Nossa política é literalmente contratar o máximo de engenheiros talentosos que pudermos encontrar. O único limite desse sistema é que não há pessoas suficientes treinadas e que possuem essas habilidades”, disse Zuckerberg no vídeo de apresentação.

A Code.org ainda recebe o apoio de outras grandes companhias do setor, como Apple, Google, Amazon e LinkedIn. Os interessados no programa devem se cadastrar no site do evento.

 Curiosidades na internet

Redes sociais mudam a dinâmica da busca por empregos

Acesse:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/08/130808_redes_sociais_empregos_pai.shtml

Da BBC Brasil em São Paulo

Atualizado em  30 de agosto, 2013 – 05:23 (Brasília) 08:23 GM
Foto: ReutersRedes sociais trazem mudanças tanto para empregadores quanto para candidatos em potencial

O paulista Marcus Aurélio Kouyomdjian trabalhava em uma concessionária de veículos quando seu perfil profissional, postado na rede social LinkedIn, chamou a atenção de uma grande loja de produtos veterinários.

Ele não estava procurando emprego na época, “mas quando veio o convite para o processo seletivo, pensei: Vou ver o que acontece”, conta à BBC Brasil.

Marcus Aurélio acabou aceitando o novo emprego. E recomendou a seu filho mais velho, Pedro, que também levasse seu currículo às redes sociais. Pedro, um engenheiro de 25 anos, tampouco pensava em mudar de emprego, mas recebeu uma proposta interessante e acabou aceitando uma vaga como coordenador de obras.

As redes sociais estão trazendo mudanças às dinâmicas de busca de empregos, tanto para profissionais como os Kouyomdjian quanto para empregadoras, apontam especialistas ouvidos pela BBC Brasil.

Para começar, o contato entre Marcus Aurélio e Pedro e as empresas que os contrataram só ocorreu graças às redes sociais. Nos EUA, esse fenômeno foi batizado de “procurar emprego passivamente” (“passive job seeking”) – ou seja, alguém que não estava ativamente atrás de um novo trabalho pode acabar aceitando uma oferta atraente que tenha a ver com seu perfil e seus interesses.

“As redes sociais quebraram paradigmas (no processo) de contratações”, diz à BBC Brasil Milton Beck, diretor de soluções de talento da rede social profissional LinkedIn, que tem 13 milhões de usuários no Brasil e 238 milhões no mundo. A rede usa algoritmos para cruzar pré-requisitos de vagas disponíveis como perfil dos profissionais cadastrados, de acordo com sua experiência e características postadas online.

Segundo Beck, 70% dos usuários não estão no LinkedIn em busca de empregos, mas sim para manter-se visíveis, fazer contatos e participar de grupos de interesse.

“Eles já estão empregados, mas se surgir uma oportunidade de crescimento profissional, estão abertos a conversas. Antes das redes sociais, essas pessoas não estavam acessíveis em grande escala para as empresas que buscam contratá-los.”

Continue lendo …clique aqui…

Curiosidades na internet

LinkedIn inaugura escritório em São Paulo

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/linkedin/LinkedIn-inaugura-escritorio-em-Sao-Paulo/

Linkedin

O LinkedIn inaugurou nesta quarta-feira (3) seu primeiro escritório brasileiro no bairro de Pinheiros, em São Paulo, pouco mais de um ano depois de oficializar sua chegada ao Brasil. Atualmente, o Brasil é o terceiro país com o maior número de usuários na rede social profissional, totalizando 13 milhões e ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia.

“Com este novo ambiente de trabalho, poderemos integrar ainda mais nossa equipe e nossos clientes, ao mesmo tempo em que comporta os planos de crescimento da empresa no Brasil e na região”, disse em nota Osvaldo Barbosa de Oliveira, diretor geral do LinkedIn no Brasil. “O LinkedIn está transformando a indústria de recrutamento. Desde quando nos estabelecemos no país, em novembro de 2011, dobramos a base de usuários e nossas soluções de negócios estão presentes em mais de 500 empresas, nacionais e multinacionais”.

A empresa afirmou também que o novo escritório atuará como a sede do LinkedIn para a América Latina, com foco, neste primeiro momento, nas Soluções de Marketing, que ajudam anunciantes a alcançar de forma direcionada seu público-alvo. “O LinkedIn considera a América Latina uma região importante, de grande potencial, e quer atender de forma completa às necessidades das empresas locais. Agora, com uma equipe focada e uma sede estabelecida, será ainda mais fácil reforçar a presença do LinkedIn nesses países”, concluiu Oliveira.

Curiosidades na internet

Facebook, Twitter e Linkedin abrem vagas de emprego no Brasil

Acesse:http://www.techmestre.com/novo-virus-dentro-do-skype-se-espalha-com-velocidade-inimaginavel.html

Ao todo são oferecidas mais de 30 vagas para diferentes cargos.

Três das maiores redes sociais do mundo estão buscando funcionários brasileiros. O Facebook, o Twitter e o LinkedIn oferecem juntos mais de 30 postos de trabalho no país.

O LinkedIn busca consultores de marketing, gerentes de contas e vendedores para trabalharem no escritório da empresa em São Paulo. Segundo Osvaldo Barbosa, diretor geral da rede social no Brasil, a companhia tem contratado novos funcionários praticamente todos os meses desde que se instalou em território nacional. Veja as exigências e cargos.

O Twitter conta com 5 vagas, as quais se apresentam como coordenador de recrutamento, diretor de parcerias em esportes, mídia e política, engenheiro entre outras. Além destas, existem outros três postos para trabalhar no Brasil, mas com seleção realizada na América do Norte. Confira as vagas do microblog.

O Facebook não fica atrás, e traz cargos para marketing, finanças, operações publicitárias, soluções de mídia entre outros. Confira as oportunidades.

Emprego no Brasil Facebook, Twitter e Linkedin
Curiosidades na internet

Novo site cria galeria com as fotos em 360 graus tiradas com Android

Acesse:http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/04/novo-site-cria-galeria-com-fotos-em-360-graus-tiradas-com-android.html

Recém lançada na web, a nova página SphereShare reúne e expõe uma galeria de imagens com mais de 180º, todas capturadas por dispositivos móveis do Android.

O SphereShare exibe uma crescente galeria de fotos panorâmicas tiradas com smartphones que tenham Android (Foto: Divulgação/ SphereShare )O SphereShare exibe uma crescente galeria de fotos panorâmicas tiradas com smartphones que tenhamAndroid (Foto: Divulgação)

Qualquer um pode enviar uma imagem panorâmica pelo próprio SphereShare. Também na página, todas as imagens podem ser visualizadas de uma forma prática e interativa. Utilizando comandos intuitivos e fáceis, é possível movimentar a foto e aumentar ou reduzir o zoom somente com os botões do mouse.

A visualização das imagens é feita de forma interativa e controlada pelo mouse (Foto: Divulgação/ SphereShare )A visualização das imagens é feita de forma interativa e controlada pelo mouse (Foto: Divulgação)

Cada uma das imagens presentes na galeria do site exibe o modelo do aparelho que utilizado, um título personalizado e o local em que a foto foi tirada. Além disso, na opção “Map” é possível visualizar as fotos pela localização global exata em que elas foram capturadas.

Na opção "Map" você pode visualizar as fotos diretamente de onde foram tiradas (Foto: Divulgação/ SphereShare)Na opção “Map” você pode visualizar as fotos diretamente de onde foram tiradas (Foto: Divulgação)

Segundo os termos e condições dos organizadores do site, fotos que tenham conteúdo ofensivo ou inadequado ou ainda não sejam panorâmicas serão retiradas imediatamente do crescente conteúdo exibido no site.

O site ainda permite que suas imagens sejam compartilhadas nas principais redes sociais da internet (Foto: Divulgação/ SphereShare)O site ainda permite que suas imagens sejam compartilhadas nas principais redes sociais da internet (Foto: Divulgação/ SphereShare)

De forma fácil e com comandos bastante objetivos, o SphereShare permite que qualquer pessoa faça o upload de suas fotografias, sem a necessidade de um cadastro ou conta de usuário. O site ainda permite que as fotos publicadas sejam compartilhadas diretamente nas redes socais Twitter, Facebook, Google+ e LinkedIn.

Curiosidades na internet

LinkedIn está se preparando para um novo design: Fotos maiores, Menu Ancorado (E uma Vida Menos Tweeted)

Acesse:http://techcrunch.com/2012/07/10/linkedin-is-gearing-up-for-a-redesign-bigger-pictures-anchored-menu-and-a-life-less-tweeted/

Sem título-9

LinkedIn estes dias pode ser a rede social que é mais utilizado por aqueles que procuram um novo emprego (e  não o lugar para ler tweets), mas a empresa há muito tempo queria ser visto como o lugar para muito mais, e nós está começando agora um vislumbre de como ele pretende colocar isso em ação. LinkedIn foi discretamente lançando uma nova versão de sua página inicial para alguns de seus 160 milhões de usuários – a primeira grande atualização em anos – com um layout que vai colocar muito mais ênfase na construção das relações, fazer melhor uso do conteúdo de notícias socialmente curadoria – e, se tudo correr conforme o planejado, deve tornar o site muito mais pegajosa.

Nós tivemos três pessoas diferentes em contato conosco sobre o LinkedIn olhar novo, e um porta-voz da empresa confirmou também tanto:

“Estamos sempre procurando maneiras de tornar mais fácil para os usuários do LinkedIn para obter mais valor dos nossos serviços através da criação de mais simples, as experiências mais relevantes, por isso estamos testando um novo design para a página inicial do LinkedIn com um punhado de membros”, disse TechCrunch.

A julgar pelo número de dicas que já recebeu sobre o novo visual (e aqueles que temos visto discuti-lo on-line ), poderia passar de fase de teste de desenvolvimento mais alargado em questão de semanas.

Então o que está no novo site? Muitos dos mesmos elementos estão lá, como antes, mas de formas mais dinâmicas.

A nova barra de menu, por exemplo, agora sobre um fundo escuro, tem as mesmas guias como o existente, mas agora vai permanecer no topo da página como você rolar para baixo e ao redor. Isso dá aos usuários a capacidade de, digamos, criar uma mensagem ou verificar em notícias de onde eles estão na página.

Do mesmo modo, LinkedIn Hoje ainda aparece perto do topo da página, mas agora as imagens na alimentação são muito maiores. Enquanto isso não é nada parecido com o Facebook Timeline (para iniciantes não há fotos postadas no LinkedIn, exceto para o seu mugshot perfil), você pode ver a influência do visual lideradas redesigns como que sendo usado para envolver o usuário mais.

Enquanto isso, também parece ser mais funcionalidade nas “pessoas que visualizaram seu perfil”, com área “Message / Connect” condicional botões ao lado de cada pessoa significado: se alguém viu o seu perfil e você está ligado a eles você pode enviar mensagens, caso contrário, você pode se conectar.

O maior movimento estratégico no LinkedIn tem sido no sentido de uma maior simplificação. É algo que vimos na última versão é de aplicativos móveis da empresa, e é o que o CEO Jeff Weiner temenfatizado como um objetivo mais amplo para a empresa. E é o que LinkedIn parece estar indo por aqui, também.

Mas essas melhorias estéticas são quase certamente, vai também ser acompanhados de mudanças de algoritmos, onde a facilidade de utilização será, juntamente com o conteúdo que os membros do LinkedIn realmente quer usar: se isto é uma seleção mais relevante de contactos potenciais por meio de “pessoas que você deve saber “, uma lista de mais personalizadas de histórias do LinkedIn Today, ou formas mais fáceis de criar e compartilhar conteúdo com seus contatos.

Esse último ponto sobre as pessoas que usam o LinkedIn como um lugar para seus próprios pensamentos e partilha de informações é um passo importante. Embora o desenvolvimento de uma nova home page com recursos de conteúdo avançado teria começado meses atrás, é oportuno que o seu surgimento acontece para vir na sequência do divórcio semi-Twitter do LinkedIn, em que o Twitter tem  limitado a sua API  para  impedir que os tweets  de automaticamente postagem a rede social LinkedIn.

Esses tweets, ouvimos, produziu uma tonelada de conteúdo no LinkedIn, mas não necessariamente de conteúdo relevante para o profissional da rede. Isso diz duas coisas: há um buraco a ser preenchido, e uma oportunidade para preenchê-lo de uma forma que é melhor do que o que veio antes.

Um colega meu observou-me: “Com o Twitter sendo puxado Linkedin percebo que tenho mais incentivo para postar atualizações de status [no LinkedIn].” Bem, ele poderia ser ou isso ou as pessoas se afastando de usar o site por completo por causa da tempo e esforço extra necessário.Mais uma razão LinkedIn precisa para obter uma atualização mal-humorado para fora da porta pós pressa.

Obs.: Caso haja erros de português e de concordância são devido a este texto ter sido traduzido “automaticamente” pelo serviço de tradução on-line gratuito que traduz instantaneamente textos e páginas da web.

Curiosidades na internet

Facebook lança “Casamentos e Festas” característica, Amadurecendo com executivos

Acesse:http://techcrunch.com/2012/07/12/facebook-releases-weddings-and-celebrations-feature-maturing-with-executives/

Weddings_Celebrations

O Facebook lançou uma nova “Casamentos e Festas” recurso que irá exibir os eventos especiais, começando com compromissos e casamentos, aniversários, juntamente com amigos na rede social.

O recurso, que começa a implantar-se, hoje, é automatizado baseado fora a mudança de um status de relacionamento para “engajado” ou “casado”. Aparecendo acima aniversários na página inicial, os usuários podem clicar sobre a atualização e felicitar um dos membros do casal, como bem como adicionar um dos membros como um amigo, sem sair da página.

Ontem, Facebook redesenhou sua página de eventos, acrescentando lista e vistas do calendário.No entanto, um porta-voz do Facebook diz que “Casamentos e Festas” não serão adicionados à lista ou vistas do calendário. Isso só irá aparecer na página inicial.

É interessante notar que os executivos do Facebook Mark Zuckerberg , Chris Cox e A ndrew “Boz” Bosworth , que são 30 anos ou menos, recentemente se casou. A rede nasceu a partir de um dormitório de Harvard e foi criado em imagens de estandes barril, o serviço pode ser amadurecendo com o seu fundador e líderes.

“O Facebook tornou-se uma única maneira as pessoas compartilham e felicitar os amigos ao redor eventos de vida emocionantes, como compromissos e casamentos ou a chegada de uma criança”, um porta-voz do Facebook disse em um comunicado de imprensa.

No entanto, o aumento da consciência ocasiões amigos especiais não pode ser bom para todos os usuários. Solteiros perpetuamente lembrar de compromissos de seus amigos e casamento poderia levar a usuários tristes ou ciúmes. Vendo casamento de um amigo que você não está convidado a poderia até mesmo levar à queda-outs. Claro, isso iria acontecer com check-ins e fotos de qualquer maneira. Este é apenas um lembrete adicional que é pegajoso na página inicial.

O recurso pode ser um sinal das coisas por vir, especialmente como Zuckerberg e Facebook idade executivos e começar a ter filhos. Poderia “Casamentos e Festas” vir a abranger o nascimento de uma criança? Facebook atualmente membro tampas, aos 13 anos, então você só poderia escrever na parede dos pais, não o recém-nascido. Mas quem sabe, talvez que a política vai mudar, também.

Obs.: Caso haja erros de português e de concordância são devido a este texto ter sido traduzido “automaticamente” pelo serviço de tradução on-line gratuito que traduz instantaneamente textos e páginas da web.

Curiosidades na internet

Os 9 maiores roubos de dados da internet

Acesse:http://www.tecmundo.com.br/seguranca/26476-os-9-maiores-roubos-de-dados-da-internet.htm

É bom tomar cuidado antes de armazenar informações confidenciais online, pois nem mesmo empresas grandes e de segurança escapam dos crackers.

Até mesmo grandes empresas estão vulneráveis ao vazamento de informações.

Muitos imaginam que a segurança de sistemas computacionais evolui à medida que outros avanços tecnológicos acontecem. Infelizmente, não é bem assim. Não são raros, por exemplo, sistemas online com graves falhas de segurança. Apenas para citar um caso recente, mais de 6 milhões de senhas do LinkedIn foram roubadas.

Muitas vezes, descuidos básicos, como a falta de atualização da plataforma em que funciona o site, torna qualquer rede um alvo fácil para os script kiddies, por exemplo, crackers inexperientes que baixam programas da internet voltados para a invasão de computadores. Em outras situações, razões ideológicas podem levar verdadeiros gênios a quebrar a segurança de empresas.

Não faltam motivações para invadir sistemas. Seja qual for o caso, o fato é que isso gera muita dor de cabeça para administradores de redes e técnicos especializados em segurança. E, como milhões de senhas de serviços foram “roubadas” nos últimos meses, a CNN preparou uma lista com os piores vazamentos de dados dos últimos dez anos. Quer saber quem está na relação? Confira!

1. PlayStation Network: 77 milhões de pessoas sem acesso

Em abril de 2011, jogadores do mundo todo quase tiveram um ataque de nervos ao saber que a PlayStation Network — serviço da Sony que fornece conteúdo digital e partidas multiplayer — estava fora do ar. Porém, a frustação se transformou em empolgação quando grupos de hackativismo assumiram a autoria do ataque que levou a rede a ficar offline

A operação foi motivada pelo processo que a Sony moveu contra o jovem George Hotz (Geohot), responsável pelo desbloqueio do Playstation 3. Na ocasião, 77 milhões de pessoas ficaram sem acesso ao serviço da empresa. Além disso, os dados de mais de 24 milhões de contas foram roubados, contendo informações valiosas e que não estavam protegidas por criptografia, como números de cartões de crédito, senhas e histórico de compras. O prejuízo para a Sony foi de US$ 24 bilhões.

2. Epsilon: 60 milhões de emails vazados

A Epsilon é uma das maiores empresas do mundo a trabalhar com banco de endereços de emails, que são vendidos para empresas que pretendem divulgar seus produtos para possíveis clientes por meio da internet. Obviamente, essas bases de dados são feitas com a permissão dos detentores das contas, caso contrário, a prática poderia ser considerada como spam.

Vazamento de dados é sinônimo de prejuízo

De qualquer forma, o fato é que, em março do ano passado, muitos clientes da Epsilon receberam emails falsos e que faziam parte de um golpe para capturar dados particulares e presentes no serviço. Na ocasião, esse ataque do tipo  capturou cerca de 60 milhões de emails usados por mais de 100 clientes da Epsilon. Agora, sim, é possível que essas pessoas tenham começado a receber propagandas não solicitadas.

3. Nem a RSA escapa de ataques

Para quem não conhece, a RSA é uma empresa especializada em segurança e criptografia fundada por três professores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts: Ron Rivest, Adi Shamir e Len Adleman. Pois saiba que nem essa companhia, tida como referência no assunto, ficou livre do vazamento de dados. Em março de 2011, foi a vez da RSA gastar tempo e dinheiro para corrigir falhas de segurança.

Na ocasião, crackers invadiram os servidores da RSA e obtiveram acesso a mais de 40 milhões de chaves de autenticação usadas por funcionários para acessar redes corporativas e governamentais. Desde então, a empresa já gastou mais de US$ 66 milhões (cerca de R$ 134 milhões) para monitorar e aumentar a segurança das informações de clientes.

4. Gawker, punida por ser “arrogante”

Em dezembro de 2001, a Gawker Media, grupo responsável por muitos sites de sucesso na internet, acabou sendo alvo de um grupo hacker conhecido como Gnosis. Na data, os crackers liberaram um arquivo de 500 MB com login, senha e email de mais de 1,3 milhões de pessoas que se cadastraram nas páginas mantidas pela empresa. A razão? “Fomos atrás da Gawker por causa da sua arrogância absoluta”, explicou o grupo.

5. O caso AOL

Em 2006, a AOL liberou um arquivo com informações das pesquisas respondidas por mais de 650 mil usuários do seu sistema de busca. A divulgação desses dados foi intencional e realizada com o nobre propósito de servir como base de dados para fins diversos, como estudos acadêmicos.

Para manter o anonimato das pesquisas, dados de login foram substituídos por números randômicos. Porém, a empresa não se deu conta de que muitas dessas buscas continham números de documentos que poderiam levar à identificação de seus donos. Na ocasião, o jornal The New York Times foi capaz de identificar uma pessoa dessa lista facilmente, com a ajuda de um catálogo telefônico, e a CNN Money chegou a classificar essa mancada como um dos 101 momentos mais estúpidos do mundo dos negócios.

6. Vazamento monstro de informações

Monster.com é o maior banco de empregos da internet.  Por isso, é de se esperar que esse serviço tenha uma grande preocupação com a segurança dos dados que hospeda, já que muitas pessoas cadastram seus currículos diariamente nesse sistema online. Porém, não vivemos em um mundo perfeito.

Mais de um ataque já comprometeu a privacidade dos dados armazenados pelo Monster.com. Em agosto de 2007, o site passou por diversos vazamentos de dados, perdendo informações de milhões de contas. Isso levou o Monster.com a adotar uma nova política de segurança. Porém, não adiantou muito: em 2009, crackers obtiveram informações de 4,5 milhões de pessoas por meio de um ataque aos servidores da empresa.

7. Prejuízo de US$ 68 milhões para a Visa

A TJX Companies é um grupo varejista que está por trás de 2 mil lojas de marcas, como TJ Maxx e Marshalls. Mas todo esse tamanho não foi o suficiente para livrar a companhia de um dos maiores vazamentos de dados de todos os tempos: em dezembro de 2006, informações de 94 milhões de clientes foram parar nas mãos de desconhecidos. Entre as vítimas estavam, inclusive, contas internacionais, contendo dados como números de cartões de crédito e de débito.

Quase um ano depois, a operadora de crédito Visa calculou que o prejuízo causado pela divulgação desses dados chegou à casa de US$ 68 milhões (cerca de R$ 138 milhões).

8. Até tu, Google?

Em dezembro de 2009, a Google informou que foi vítima de um ataque virtual que partiu da China. Na verdade, ela não foi a única empresa a ter sua segurança quebrada. Na mesma ocasião, empresas como Adobe, Yahoo, Symantec e outras passaram pelo mesmo problema. No total, foram pelo menos 20 companhias do Vale do Silício visadas pelos crackers, e o ataque foi realizado com sucesso na maioria delas.

Na época, a Google afirmou que propriedades intelectuais foram roubadas (códigos-fonte), mas não chegou a dar detalhes sobre o assunto. Além disso, a empresa também disse que informações limitadas de duas contas de usuário também foram acessadas pelos criminosos.

9. Cartões de crédito, os preferidos dos crackers

A empresa de processamento de cartões de crédito CardSystems Solution cometeu um erro gravíssimo: a maioria das operações passava sem criptografia alguma pelos seus servidores. Assim, depois de invadir e monitorar os computadores da empresa, criminosos tiveram acesso a mais de 40 milhões de números de cartões da Visa e Mastercard, com direito a nomes de seus proprietários e os respectivos dígitos verificadores de todos eles.

Depois de tanta exposição, empresas como Visa e American Express cancelaram seus contratos com a CardSystems Solution, que acabou sendo comprada pela Pay By Touch e, posteriormente, fechou as portas de vez. Pelo menos, com essa empresa, ninguém precisa se preocupar mais.

Curiosidades na internet

Relatório: Mais de 24% dos Web Sites da Top 10.000 Agora Usa Widgets Oficiais do Facebook

Acesse:http://techcrunch.com/2012/06/18/report-over-24-of-the-webs-top-10000-sites-now-use-facebooks-official-widgets/

facebook_twitter_logo

De acordo com um estudo novo pelo site monitoramento de serviços Pingdom , 24,3% dos melhores sites de 10.000 em todo o mundo (como relatado por Alexa) agora apresentam algum tipo de integração oficial do Facebook em suas homepages. Isso já é um número bastante impressionante, mas uma vez que você também incluir os links básicos para o Facebook, o número sobe para 49,3%. Oficial da empresa como botão é caracterizado em 7,3% destes sites.

Facebook está claramente tornando-se uma “parte do DNA da Web”, como Pingdom coloca, e é muito à frente de seus concorrentes. É importante notar, porém, que o número de sites que integram o Facebook parece ter permanecido relativamente estável ao longo do ano passado. Quase exatamente um ano atrás, BrightEdge, por exemplo, relatou que encontrou alguma forma de integração do Facebook em cerca de 47% da web de topo de 10.000 sites.

Twitter, Google + e LinkedIn

No estudo da Pingdom, o Twitter só é caracterizado em 10% das homepages no topo 10.000. Cerca de 4,3% destes sites usam o botão do Twitter partes oficial. Apesar destes números relativamente baixos, é importante notar que 41,7% dos sites possuem links para o Twitter – um número que não é muito diferente do Facebook.

Quanto à rede social do Google Google + , o que – dependendo de quem você perguntar – ou é salto com a atividade ou morto – relatórios Pingdrom que está realmente fazendo muito bem em termos de integrações homepage. Mais de 13% dos sites pesquisados neste estudo utilizou botão Google +1 em suas homepages e 12,3% incluem links para plus.google.com. Como Pingdom salienta com razão, porém, muitos proprietários do site integrar o Google + para impulsionar seus rankings do Search Engine e “isso pode inflar os números um pouco uma vez que não estão necessariamente ligados ao Google + a partir da perspectiva dos proprietários do site, mas sim visto como um meio para influenciar SERP. “

LinkedIn , a rede Pingdom outro olhou, está muito longe das competições. Apenas 0,6% dos locais estudados aqui integrá-la em sua página inicial e 0,3% usam o botão de rede social da ação oficial.Mesmo com ligações básicas incluído o número total de sítios que integram o LinkedIn é, apenas 3,9%.

Contando todos os tipos de ligações e widgets oficiais, aqui é contagem final da Pingdom:

  1. Facebook : 49,3%
  2. Twitter : 41,7%
  3. Google + : 21,5%
  4. LinkedIn : 3,9%

Obs.: Caso haja erros de português e de concordância são devido a este texto ter sido traduzido “automaticamente” pelo serviço de tradução on-line gratuito que traduz instantaneamente textos e páginas da web.

Curiosidades na internet

%d bloggers like this: