Alisamento vegano: o que é e como funciona

Para quem deseja alisar os fios de forma semipermanente, o alisamento feito a partir da escova progressiva era até então, a primeira e única opção. Esse tipo de alisamento pode conter substâncias químicas nocivas à saúde e que podem danificar intensamente os fios. Porém, com o avanço dos tratamentos de beleza surgiram novas opções, como o alisamento vegano, uma alternativa menos agressiva e sem as temidas substâncias químicas proibidas.

VEGANO = NATURAL? “A diferença entre o alisamento vegano e o alisamento convencional, é que o primeiro não leva ingredientes de origem animal e também não é testado em animais, mas isso não significa necessariamente que ele seja 100% natural. Tudo depende da composição do produto, então um alisamento vegano pode ser 100% químico, porém esses agentes não contém nada de origem animal”, explica a cosmetóloga Cris Dios.

ALISAMENTO GRAU 1 X GRAU 2 O alisamento é rotulado pela Anvisa como um produto de grau 2 e, para isso, precisa comprovar algumas questões exigidas pela agência reguladora, como testes de segurança para mostrar que o produto não causa irritabilidade, não contém formal e outras substâncias proibidas. Já os alisamentos temporários (que saem após algumas lavagens), são rotulados como grau 1 e não exigem os testes de eficácia, o que significa que, provavelmente as matérias primas são mais naturais e não testadas em animais. No Brasil, o uso do formol como alisante capilar é proibido pela Anvisa.

A legislação sanitária permite que os cosméticos capilares contenham apenas uma pequena concentração de 0,2% da substância, que deve atuar como conservante durante o processo de fabricação. + Como o ácido hialurônico age no cabelo?

PARA QUEM É INDICADO Vegano ou convencional, o alisamento é indicado para todos os tipos de cabelo e até mesmo para grávidas, desde que permitido pelos profissionais que acompanham a gestação. Para realizar qualquer tipo de alisamento, o cabelo precisa estar saudável e resistente para o processo, uma vez que o processo mexe com as estruturas internas do cabelo, trazendo a degradação do fio. “Quando falamos de alisamento, você cria uma transformação na fibra capilar, uma transformação interna bem intensa.

Se o cabelo não tiver uma resistência física, pode acontecer um problema de quebra e danos intensos aos fios. É essencial que o profissional avalie antes se o cabelo irá aguentar o processo”, indica Cris. DURAÇÃO A cosmetóloga afirma que existem alisamentos veganos que podem ser mais naturais e duram em média, de 2 a 3 meses nos fios. Esse tipo de alisamento garante um processo menos agressivo e é ideal para deixar as fibras capilares alinhadas, além de combater o frizz e o volume dos fios.

“É sempre bom reforçar: tudo depende da composição do produto, mas sim, alguns alisamentos veganos podem nutrir e tratar os fios. Para isso, o produto precisa conter ingredientes que neutralizam os danos do processo de alisamento, como proteínas, vitaminas, aminoácidos e ceras vegetais. Esses ingredientes minimizam os danos, mas não são os responsáveis pelo alisamento, ok?”, finaliza. COMO É FEITO O processo do alisamento vegano deve ser feito exclusivamente no salão, por um profissional habilitado. Nos cabelos limpos e secos, o cabeleireiro irá aplicar o produto com um pente fino, passando-o da direção da raiz até às pontas.

Para penetrar no cabelo, o produto deve ficar agindo nos fios de acordo com o tempo indicado no rótulo da embalagem (cerca de 30 minutos). Depois disso, o cabelo é resfriado e passa por uma lavagem, para então ser escovado e alisado com uma prancha alisadora.

Alisamento vegano: o que é e como funciona