Tag: óculos

10 coisas que você talvez não saiba que seu Android faz

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/41278/41278

Smartphones em geral são muito simples de ser usados, mas alguns recursos interessantes normalmente acabam soterrados entre tantas funções mais óbvias. Depois de listar ferramentas bacanas do iOS, a seleção abaixo, criada pelo Buzzfeed e adaptada pelo Olhar Digital, mostra algumas ferramentas legais e curiosas escondidas no Android. Confira: 

Compartilhar coisas apenas ao encostar os telefones
Um recurso bacana que raramente é lembrado pelos usuários do sistema do Google é o Android Beam. A ferramenta permite a transferência de arquivos, contatos, músicas, vídeos, fotos e aplicativos apenas encostando um aparelho no outro.

Para isso, é necessário ter dois aparelhos com a tecnologia NFC e o recurso deve estar ativado em ambos. Para ativar, é necessário acessar as Configurações e pressionar Mais…; em seguida, é só liberar o recurso Android Beam.

Bloqueio de tela com reconhecimento facial
Não é preciso usar uma senha toda vez que você liga o aparelho, basta colocar seu rosto em frente à câmera. Para isso, acesse Configurações > Segurança > Bloqueio de tela e selecione Desbloqueio facial. Em seguida, posicione seu rosto na área indicada para configuração.

O Google avisa que este método não é o mais seguro, porque pessoas parecidas com você podem desbloquear o aparelho. Para evitar que um engraçadinho use apenas uma foto sua para liberar o aparelho, basta ativar a Verificação de presença viva, que exige que a pessoa pisque para ser reconhecida. Você também pode acessar Melhorar a correspondência do rosto, para que o celular o reconheça-o com e sem óculos, com e sem barba e em diferentes condições de luz.

Curiosidades na internet

Tomar sol sem proteção pode provocar doenças nos olhos, afirma especialista

Acesse:http://noticias.r7.com/saude/tomar-sol-sem-protecao-pode-provocar-doencas-nos-olhos-afirma-especialista-31012014

Exposição excessiva ao ultravioleta pode danificar córnea ou superfície ocular

A utilização de óculos escuros é fundamental para proteger os olhos da luz solar intensaThinkstock

A exposição ao sol por longos períodos podem provocar problemas nos olhos, de acordo com o médico cirurgião-oftalmologista Renato Neves.

— Não sentimos os raios ultravioleta, porém eles causam sérias doenças no nosso organismo. Pessoas mais expostas à luz solar têm uma maior tendência a desenvolver doenças oculares, como por exemplo, a catarata.

De acordo com o médico, a ação aguda dos raios UV sobre os olhos provoca queimaduras na superfície ocular semelhantes aquelas causadas na pele. E o efeito da longa exposição sem a devida proteção é cumulativo.

Casos de conjuntivite aumentam 20% durante o verão

Neves ainda explica que a exposição excessiva ao ultravioleta refletido na areia ou no chão, ou até mesmo na neve, pode danificar a córnea ou a superfície ocular, causando doenças como a conjuntivite. Segungo o especialista, é necessário também proteger os olhos de lesões agudas causadas por breves saídas durante os dias de sol muito forte.

O especialista ainda acrescenta que em dias nublados também é recomendado o uso de óculos escuros.

— O que pouca gente sabe é que mesmo nos dias nublados, os raios de sol passam através das nuvens finas, por isso também é importante usar os óculos de sol.

Verão requer cuidado especial com os olhos

A escolha do óculos de sol adequado também é indispensável, pois o principal é que os óculos bloqueiem de 99 a 100% dos raios UVA e UVB. E os óculos devem envolver a sua face, de têmpora a têmpora, para que os raios solares não penetrem pelo lado.

Dicas:

— Se possível proteja-se do sol das 10h da manhã e 14h da tarde;
— O que vale é a lente filtrar toda a radiação UV. O preço, modelo e cor dos óculos são de importância secundária;
— Veja sempre se há o selo de qualidade e de proteção UV nos óculos de sol

Curiosidades na internet

É possível assistir a filmes 3D em um notebook ou monitor comum?

Acesse:http://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2013/12/e-possivel-assistir-filmes-3d-em-um-notebook-ou-monitor-comum-saiba-como.html

Quer assistir filmes em 3D, mas ainda não decidiu investir em um computador novo? Desde o lançamento de Avatar, de James Camerom, um novo método para exibir imagens em três dimensões foi criado, se valendo de óculos polarizados que lêem somente as imagens direcionadas especificamente para cada um dos olhos. A tecnologia ganhou as salas de cinema do mundo todo, além de aparecer em muitos lares que decidiram comprar aparelhos especializados em imagens em 3D.

Infelizmente, sem um aparelho feito para exibir imagens 3D a qualidade nunca será a mesma daquela de monitores especiais com óculos polarizados. Ainda assim, é possível usar a velha tecnologia do 3D anáglifo, isto é, baseado em duas cores que se encontram em extremos opostos do espectro, no caso o azul e o vermelho. O Techtudo criou um guia rápido para quem quer assistir a filmes em três dimensões.

Veja também: impressora 3D que faz pizza e chocolate chega ao mercado em 2014

1) Faça um par de lentes anáglifas para você usar.

Óculos 3D "tradicionais" podem ser comprados ou feitos em casa (Foto: Pond5*)Óculos 3D “tradicionais” podem ser comprados ou feitos em casa (Foto: Pond5)

 

Muitas pessoas já têm estes famosos óculos com uma lente azul e outra vermelha, é muito comum que ele venha junto com revistas e outros produtos que se utilizem de imagens 3D. Caso você não encontre algum para comprar é bem simples fazer o seu.

Tudo o que você precisa é de um plástico translúcido de cada cor, papel celofane também serve se possuir nitidez. Você também poderá pintar ou colar estes materiais em lentes de vidro, já com armações de óculos. Uma armação de cartolina também pode resolver o seu problema e é muito fácil de se criar

Continue lendo…clique aqui…

Curiosidades na internet

Empresa japonesa cria óculos que “piscam” para descansar os olhos

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/tec/2013/12/1383460-empresa-japonesa-cria-oculos-que-piscam-para-descansar-os-olhos.shtml

Uma empresa japonesa criou óculos com lentes que embaçam automaticamente e assim conseguem um efeito de piscada que ajuda no descanso dos olhos de pessoas que passam muito tempo olhando para o computador.

Nos Wink Glasses (“óculos piscantes” em inglês) as lentes embaçam a cada 10 segundos por um período de 0,2 segundo, embora a frequência possa ser ajustada pelo usuário, o que consegue aliviar a sensação de secura nos olhos e descansar a vista, informou nesta terça-feira (10) o jornal “Asahi”.

Xinhua/AFP
Funcionária da japonesa Masunaga demonstra os "óculos piscantes"
Funcionária da japonesa Masunaga demonstra os “óculos piscantes”

Os óculos, desenvolvidos pela companhia Masunaga Optical, usam uma bateria na haste esquerda que ativa o sistema e permite regular a frequência com a qual funciona o aparelho.

As telas de computador, os telefones celulares e outros equipamentos reduzem a ação de piscar, o que pode causar uma sensação de olho seco que se desenvolve quando o globo ocular é incapaz de manter uma camada saudável de lágrimas.

O problema pode ocorrer em pessoas que têm boa saúde e fica mais comum com a idade.

O primeiro modelo dos “Óculos Piscantes” foi desenvolvido em 2009, mas a patente se mostrou “ineficaz”, segundo o jornal japonês, devido ao mecanismo que era muito complexo e precisava ser calibrado de acordo com as dimensões da cabeça do usuário.

As lentes pesam 33 gramas, o que as torna ligeiramente mais pesadas que as de óculos normais (entre 15 g e 20 g) e custam cerca de 15,8 mil ienes (R$ 355).

Até o momento, a empresa japonesa recebeu cerca de 50 pedidos das lentes desde que começaram a ser comercializadas, em outubro.

Curiosidades  na internet

Anel inteligente leva informações ao dedo dos usuários

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/39249/39249

(Foto: Divulgação)

Relógios e óculos inteligentes são demais? Então tente um anel inteligente, que pode sair do papel se os desenvolvedores por trás da ideia conseguirem levantar cerca de US$ 30 mil em algumas horas.

O produto tem a mesma premissa de outros aparelhos vestíveis: fazer com que você olhe menos para seu smartphone – afinal, segundo os desenvolvedores, olha-se, em média, 150 vezes ao dia para o telefone.

Conectado ao smartphone por Bluetooth, o anel recebe alertas de chamadas recebidas e perdidas, mensagens de texto, e-mails e updates de aplicações sociais: Facebook, Twitter, Hangouts e Skype. Também dá para aceitar e rejeitar ligações, fazer chamadas para números pré-definidos, controlar a câmera do telefone e a música.

Há até um relógio/cronômetro/contador regressivo que mostra os números na parte externa do anel. O Smarty Ring é impermeável e vem com um carregador sem fio que pode ser usado no telefone.

O projeto foi colocado num site de financiamento coletivo e faltam 68 horas para o término do prazo. Os criadores esperam levantar, no total, US$ 40 mil, mas só conseguiram US$ 9,8 mil, até agora.

Curiosidades na internet

Sony regista nova patente para criar peruca inteligente

Acesse:http://www.tecnologia.com.pt/2013/11/sony-regista-nova-patente-para-criar-peruca-inteligente/

peruca

Com a tecnologia a chegar aos nossos olhos, pulsos ou pés graças a novidades como os óculos e os relógios inteligentes, nada mais normal do que continuar a inovar e a Sony sabe disso. Por isso mesmo, a empresa está agora a desenvolver uma nova forma de dispositivo inteligente: uma peruca especial que até já tem direito a patente registada.

O novo gadget, se é que se pode chamar desta forma, recebeu a denominação de SmartWig e deverá vir equipada com sensores, uma câmara e lasers. O objetivo do dispositivo não é substituir cabelo, mas sim ser usado como uma peruca tradicional equipada com uma espécie de computador móvel.

De acordo com a patente, a peruca inteligente seria feita com “partes de cabelo que esconderiam os sensores e dispositivos de comunicação”. Cabelo esse que pode ser produzido com recurso a lã, crina de cavalo, fibras sintéticas ou até cabelo natural.

A Sony já veio dizer que a SmartWig poderá, no futuro, ajudar pessoas cegas a movimentar-se na rua, por exemplo. O dispositivo poderá vibrar de ambos os lados e, assim, orientar a pessoa. A peruca poderá ainda ser utilizada para vigiar a saúde do utilizador graças aos sensores capazes de monitorizar os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea.

Contudo, a outra possível aplicação apontada pela Sony será a mais popular, já que a peruca poderá vir a ser um dispositivo inteligente que também contribui para o estilo dos utilizadores. “O utilizador poderámudar sua aparência instantaneamente ao modificar o tipo, formato e cor da peruca”, acrescenta a patente.

Para já, a SmartWig é apenas isso mesmo: um projeto no papel. A Sony anunciou o conceito, mas ainda não tem planos para arrancar com a produção do dispositivo.

Curiosidades na internet

Óculos especiais para médicos permitem ver por baixo da pele

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/39041/39041

(Foto: reprodução)
Um novo gadget desenvolvido pela empresa americana Evena Medical pode solucionar o velho problema da enfermeira que não encontra a veia na hora do exame de sangue. A proposta do Eyes-On Glasses é permitir ao usuário ver claramente os vasos sanguíneos do paciente através da sua pele antes de dar a agulhada.
O óculos de raio-X da Evena não se aplica apenas a esta situação, mas é uma daquelas que serão resolvidas com o produto. A tecnologia é similar a outros produtos da empresa, que, no entanto, são grandes demais e pouco práticas. O Eyes-On Glasses permitiriam uma utilização mais simples e eficaz, de forma bastante parecida com o Google Glass.”Estudos mostram que 40% das injeções intravenosas requerem múltiplas tentativas para localizar e acessar a veia. Isso desperdiça o tempo dos profissionais, atrasa a terapia e causa desconforto e instaisfação do paciente”, explica Frank Balll, presidente e CEO da Evena Medical. Ele aponta que o produto poderia ser usado até mesmo em ambientes clínicos complicados, como neonatal pediátrico.

A tecnologia empregada nos óculos de raio-X é da Epson. Com isso, o gadget coleta imagens em três dimensões. Ele pode diferenciar frequências de infravermelho, que identificam a quantidade de oxigênio do sangue para identificar a veia.

O produto funciona como um óculos de realidade aumentada, que sobrepõe a imagem gerada pelos óculos com a realidade. Ele possibilita o armazenamento de fotos capturadas no procedimento e as imagens podem ser enviadas para uma equipe médica via Wi-Fi ou Bluetooth.

A expectativa é que ele seja lançado já no primeiro trimestre de 2014. Confira o vídeo que mostra como ele funciona logo abaixo:

Curiosidades na internet

Google lança loja online de acessórios para Glass

Acesse:http://imasters.com.br/noticia/google-lanca-loja-online-de-acessorios-para-glass/

Depois de anunciar a segunda geração do Glass, o Google lançou uma loja online de acessórios para seus óculos.

Pela loja virtual, será possível adquirir acessórios como carregador adicional, bolsa de microfibra, lentes protetoras e o novo fone de ouvido mono – que foi anunciado com a segunda geração do Glass.

glass-loja

Os acessórios não serão baratos: o fone de ouvido mono, a bolsa de microfibra e o carregador custarão US$ 50 cada, e a lente protetora, US$ 75.

Além disso, a loja de acessórios não está disponível para todos – apenas os “exploradores” que possuem o Glass Explorer Edition conseguem acessar o site; o restante dos usuários é reconhecido pelo Google como não sendo dono dos óculos e é redirecionado para a página de apresentação do dispositivo.

Com informações de Info

Curiosidades na internet

App transforma celular em ‘oftalmologista portátil’

Acesse:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/08/130815_aplicativo_oftalmologista_fn.shtml

James Gallagher

Repórter de Ciência e Saúde da BBC News

Aplicativo Peek em ação (Foto: Andrew Bastawrous)
Aplicativo pode fazer exames de fundo de olho (Foto: Andrew Bastawrous)

Um pesquisador da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (London School of Hygiene and Tropical Medicine) está testando um novo aplicativo que transforma celulares em uma espécie de consultório de oftalmologia de bolso.

Andrew Bastawrous está testando o aplicativo Peek (Portable Eye Examination Kit, ou kit portátil de exame de olhos, em tradução livre) em 5 mil pessoas no Quênia.

O aplicativo usa a câmera do celular para examinar os olhos e detectar a catarata. Além disso, uma letra que aparece na tela e vai diminuindo de tamanho é usada no exame básico de visão – que detecta, por exemplo, a necessidade de óculos.

E, com o aplicativo, a luz do flash da câmera do celular é usada para iluminar o fundo do olho, a retina, para tentar detectar mais doenças.

As informações do paciente ficam no celular, o lugar exato onde ele está é também gravado usando o GPS do aparelho e os resultados podem ser enviados por e-mail a médicos.

Bastawrous criou esta solução pois, até mesmo nos países mais pobres, é possível encontrar oftalmologistas nas cidades maiores. Mas, encontrar os pacientes em locais mais afastados é um problema.

“Os pacientes que mais precisam (do atendimento oftalmológico) nunca vão conseguir chegar a um hospital, pois eles estão além do fim da estrada, eles não têm renda para o transporte, então precisávamos de um jeito para encontrá-los”, afirmou.

Segundo a Organização Mundial de Saúde 285 milhões de pessoas são cegas ou portadoras de deficiência visual.

Mas, de acordo com a organização, o tratamento destes problemas frequentemente é simples: óculos ou cirurgia podem transformar a visão de uma pessoa.

Acredita-se que quatro a cada cinco casos podem ser evitados ou curados.

Custos e curas

O telefone é relativamente barato, custando cerca de 300 libras (mais de R$ 1.070) em comparação com o grande equipamento de exame oftalmológico que pode custar até 100 mil libras (quase R$ 358 mil).

Mirriam Waithara (Foto: Andrew Bastawrous)Mirriam Waithara fez os exames em casa graças ao Peek (Foto: Andrew Bastawrous)

As imagens que o aplicativo capturou durante os testes em Nakuru, no Quênia, estão sendo enviadas para o Hospital Oftalmológico de Moorfield, em Londres.

Estas imagens estão sendo comparadas com as feitas em um aparelho tradicional de exames, que foi transportado pela região em uma camionete.

O estudo ainda não está completo, mas a equipe de pesquisadores afirma que os primeiros resultados são animadores e mil pessoas já receberam algum tipo de tratamento até agora.

Entre os pacientes beneficiados está Mirriam Waithara, que vive em uma área pobre e remota do Quênia onde não há médicos para diagnosticar a catarata que quase a cegou.

Mas, depois de passar pelos exames com o Peek, Mirriam fez a operação para remover a catarata e agora pode enxergar novamente.

“O que esperamos é que (o aplicativo) forneça cuidados para os olhos para aqueles que são os mais pobres entre os pobres”, disse Bastawrous.

“Muitos hospitais fazem a cirurgia de catarata, que é a causa mais comum de cegueira, mas a verdade é que levar o paciente para os hospitais é um problema.”

“O que podemos fazer usando isto é permitir que técnicos cheguem aos pacientes, às suas casas, os examinem lá e os diagnostiquem”, afirmou o pesquisador.

Sem treinamento

Mesmo sem ter sido concluída, a pesquisa já está gerando elogios.

Peter Ackland, da Agência Internacional para Prevenção da Cegueira, afirmou que o aplicativo tem potencial para ser “decisivo” na luta contra doenças que afetam a visão.

“Se você é alguém que sustenta uma família e você não consegue enxergar, então você não consegue trabalhar e a família entra em crise”, afirmou.

“No momento, nós simplesmente não temos funcionários treinados em saúde dos olhos para levar estes serviços para as comunidades mais pobres. Esta ferramenta vai permitir fazer isto com pessoas relativamente sem treinamento”, acrescentou.

Ackland acredita que a África e o norte da Índia serão as regiões que devem se beneficiar mais com o novo aplicativo, pois os oftalmologistas e técnicos destas regiões estão operando com cerca de 30% a 40% de sua capacidade.

 Curiosidades na  internet

Start-up israelense cria câmera que lê para deficientes visuais

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/tec/2013/07/1313623-start-up-israelense-cria-camera-que-le-para-deficientes-visuais.shtml

The New York TimesA israelense Liat Negrin, deficiente visual desde a infância, entrou recentemente em uma mercearia, pegou uma lata de legumes e leu seu rótulo usando uma câmera simples e discreta acoplada aos seus óculos.

Negrin, que tem coloboma, má-formação de nascença que perfura a estrutura do olho e afeta cerca de uma em cada 10 mil pessoas, é funcionária da OrCam, start-up israelense que desenvolveu um sistema com câmera destinado a permitir que deficientes visuais se desloquem livremente e “leiam” com facilidade.

O aparelho da OrCam consiste em uma pequena câmera usada de forma semelhante ao Google Glass, conectada por um fino cabo a um computador portátil projetado para caber no bolso do usuário. O sistema fica preso com a ajuda de um pequeno ímã aos óculos do usuário e emprega um alto-falante de condução óssea para descrever em alto e bom som as palavras ou objetos apontados.

Para reconhecer um objeto ou texto, o usuário simplesmente aponta para ele com o dedo, e o aparelho interpreta a cena.

O sistema reconhece um conjunto pré-definido de objetos e permite que o usuário amplie seu acervo –incluindo, por exemplo, o texto de um rótulo ou outdoor, um semáforo ou uma placa de rua– simplesmente acenando com a mão, ou com o próprio objeto, no campo de visão da câmera.

Até agora, assistentes de leitura para cegos e outros deficientes visuais eram aparelhos desajeitados, capazes de reconhecer textos só em ambientes restritos, ou, mais recentemente, aplicativos para smartphones, com capacidade limitada.

Divulgação
OrCam faz óculos que interpretam texto e o vocalizam para pessoas que não podem enxgergar
OrCam faz óculos que interpretam texto e o vocalizam para pessoas que não podem enxgergar

O sistema foi concebido para reconhecer e descrever textos em geral –de jornais a números de ônibus–, além de objetos tão diversos quanto marcos da paisagem, semáforos e rostos de amigos. Ele reconhece textos em inglês.

O aparelho é vendido no site da empresa por US$ 2.500, o preço de um aparelho auditivo mediano.

Ele é diferente de outras tecnologias desenvolvidas para permitir alguma forma de visão a cegos, como o sistema de retina artificial chamado Argus II, fabricado pela Second Sight Medical Products. Esse sistema, aprovado em fevereiro pela FDA (Administração de Alimentos e Drogas dos EUA), permite que sinais visuais contornem a retina danificada e sejam transmitidos para o cérebro.

O dispositivo da OrCam é ainda vastamente diferente do Google Glass, que também oferece uma câmera ao usuário, mas foi concebido para pessoas com visão normal e tem limitações em termos de reconhecimento visual e poder local de computação.

A OrCam foi criada há vários anos por Amnon Shashua, pesquisador e professor de ciência da computação na Universidade Hebraica. A tecnologia se baseia nos algoritmos de visão computadorizada que ele desenvolveu com outro docente, Shai Shalev-Shwartz, e com um ex-aluno dele na pós-graduação, Yonatan Wexler.

O avanço é resultado da rápida melhora dos computadores, que agora podem ser carregados no bolso, e do algoritmo de visão computadorizada desenvolvido pelos cientistas. O sistema OrCam é representativo também das melhorias em sistemas de visão que empregam a inteligência artificial.

A técnica da OrCam, chamada Shareboost, se distingue pelo fato de que, à medida que cresce o número de objetos que ele precisa reconhecer, o sistema minimiza o poder de processamento adicional que é exigido.

“Os desafios são enormes”, disse Wexler, vice-presidente de pesquisa e desenvolvimento da OrCam. “As pessoas que têm baixa visão vão continuar a ter baixa visão, mas queremos aproveitar a informática para ajudá-las.”

Um dos principais desafios, segundo Shashua, é permitir um rápido reconhecimento óptico de caracteres sob condições de luz muito diversas e também sobre superfícies flexíveis.

“Os leitores ópticos profissionais de caracteres hoje funcionam muito bem quando a imagem é boa, mas temos desafios adicionais –precisamos ler o texto sobre superfícies flexíveis, como um jornal na mão”, disse ele.

Embora o sistema possa ser utilizado por cegos, a OrCam planeja inicialmente vender o aparelho nos Estados Unidos a pessoas com deficiências visuais impossíveis de serem adequadamente corrigidas com o uso de óculos.

A OrCam disse que mundialmente há 342 milhões de adultos com deficiência visual significativa, sendo 52 milhões deles com renda de classe média.

Tomaso Poggio, cientista da computação no MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), com quem Shashua estudou, ficou impressionado com o aparelho da OrCam. “O que é notável é que o aparelho aprende com o usuário a reconhecer um novo produto”, disse ele. “Isso é mais complexo do que parece, e, como especialista, acho realmente impressionante.

Curiosidades na internet

Perigos de comprar óculos escuros falsificados

Acesse:http://www.mundodastribos.com/perigos-de-comprar-oculos-escuros-falsificados.html

Ao se expôr ao sol, é importante utilizar ósculo escuros. Conheça os perigos de utilizar óculos escuros falsificados.

Os óculos escuros possuem diferentes cores, estilos e formato. Atualmente, esses produtos deixaram de ser protetores para os olhos e passaram a ser acessórios indispensáveis ao dia a dia. Devido a essa variedade e ao seu grande uso e os altos preços, os indivíduos passaram a buscar modelos mais baratos ou, até mesmo, que imitem os óculos escuros de marca. Porém, o que pouca gente sabe é que os óculos falsificados podem trazer prejuízo à visão. Conheça abaixo os perigos de comprar óculos escuros falsificados.

643281 Conhela os perigos de utilizar óculos escuros falsificados. Foto divulgação Perigos de comprar óculos escuros falsificados

SAIBA MAIS SOBRE OS ÓCULOS FALSIFICADOS

Segundo a Associação Brasileira da Indústria Óptica, são fabricados em nosso país, em torno de 24 milhões de óculos de sol. Desses, cerca de sete milhões são falsificados, ou seja, não são fabricados em indústrias e muito menos recebem os cuidados necessários incluídos em lei. Também, nessas peças não são colocadas as lentes que barram os raios ultravioletas, e que dariam proteção aos olhos.

OS PROBLEMAS DOS ÓCULOS FALSIFICADOS

Quando um indivíduo se expõe ao sol utilizando óculos escuros falsificados, a pupila dos olhos aumenta para poder captar uma maior quantidade de luz. Como esses óculos são produzidos sem a lente com proteção contra os raios ultravioletas, a vista não está protegida. Sem a proteção devida, os raios ultravioletas penetram com mais facilidade nos olhos, o que pode danificar a retina. Com o constante uso de óculos falsificados ocorrem problemas incalculáveis aos olhos. Entre as patologias relacionadas a esse fato, podemos citar o surgimento da catarata.

643281 Os óculos escuros falsificados podem causar dor de cabeça entre outros problemas. Foto divulgação Perigos de comprar óculos escuros falsificadosOs óculos escuros falsificados podem causar dor de cabeça, entre outros problemas. (Foto: divulgação)

OUTROS PROBLEMAS RELACIONADOS AOS ÓCULOS

Os óculos escuros falsificados podem colaborar com o desenvolvimento de diversos problemas oculares. Além disso, eles também podem ser responsáveis pelo surgimento de fortes dores de cabeça, desconforto visual e cansaço. Assim, é importante que o indivíduo visite um médico para realizar exames e verificar qual o tipo de lente indicada para cada caso, de forma a evitar futuras consequências para a saúde.

APRENDA A ESCOLHER O ÓCULOS IDEAL

Antes de adquirir o óculos escuro é importante que o indivíduo visite um médico especialista. Através da avaliação do profissional é possível saber qual o tipo de acessório ideal para a pessoa, além de colaborar com a verificação da qualidade do produto a ser adquirido.

643281 è muito importante protegeros olhos das radiações solares. Foto divulgação Perigos de comprar óculos escuros falsificados

 A visão é um dos sentidos mais preciosos que um indivíduo pode ter. Por isso, é muito importante cuidar de forma adequada dos olhos, isso inclui utilizar óculos escuros de ótima qualidade.
Curiosidades na internet

Finalmente um vídeo 3D que não embaça se você estiver sem os óculos

Acesse:http://hypescience.com/finalmente-um-video-3d-que-nao-embaca-se-voce-estiver-sem-os-oculos/

k-bigpic

Para a felicidade de quem, por alguma razão, não pode ou quer usar óculos especiais para ver filmes em 3D, pesquisadores da Universidade da Califórnia em Santa Cruz (EUA) desenvolveram um sistema híbrido, que mostra imagens 3D para quem está com os óculos e 2D para quem não está, sem os típicos borrões que aparecem nos aparelhos atuais.

Normalmente, duas imagens (uma para o olho esquerdo e uma para o direito) são projetadas para criar a ilusão de tridimensionalidade – com o auxílio de óculos especiais. No novo sistema, porém, é projetada também uma versão negativa (ou seja, com os pixels claros e escuros invertidos) da imagem destinada ao olho direito, que a anula no caso de você não estar com os óculos.

Como resultado, você vê somente a imagem projetada para o olho esquerdo – o único problema, por enquanto, é que essa imagem fica mais brilhante do que o normal para compensar a falta de contraste, uma limitação que os pesquisadores estão trabalhando para resolver.

oculos
“Existem muitas razões para não querer que os óculos sejam necessários”, ressalta James Davis, um dos responsáveis pela pesquisa. “Eles podem ser caros, e você não iria querer ter que comprar pares extras, e também podem interferir com outras atividades”.

Davis e sua equipe construíram um protótipo e pretendem montar uma empresa para ampliar o alcance dessa tecnologia 3D/2D.

Curiosidades na internet

Apresentado videogame 3D que não precisa de óculos!

Acesse:http://hypescience.com/apresentado-videogame-3d-que-nao-precisa-de-oculos/

A Nintendo mostrou, em Los Angeles, seu último console portátil: o Nintendo 3DS. A inovação do aparelho é que, por ter um sistema com duas telas, ele mostra imagens em 3D e o usuário não precisa usar óculos especiais(vamos concordar que jogar Mário durante horas com um óculos gigantesco na cara não deve ser legal).

E não é apenas o sistema 3D, mas toda a qualidade gráfica do DS foi melhorada, segundo a Nintendo.

A lista de jogos que estão sendo desenvolvidos especialmente para o 3DS já conta com alguns nomes que são campeões de venda: DJ Hero, Resident Evil, Batman, Assassin’s Creed, Metal Gear e, como não poderia deixar de ser, Donkey Kong, Zelda e Mario.

Além dos games, o aparelho tem um sistema especial de lentes que permite ao usuário tirar fotos também em 3D! Mas a visualização, até agora, só é disponível no aparelho.

A empresa disse que o console estará disponível nas lojas no fim de 2010. Então, se você é aficionado por videogame já sabe o que pedir de Natal. [BBC]

Curiosidades na internet

Lentes de contato dão visão telescópica a usuário

Acesse:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/07/130702_lente_telescopio_lk.shtml

Olho humano - Petr Novák, WikipediaDe acordo com especialistas, parte mais difícil do projeto é fazer com que lentes permitam oxigenação do olho

Pesquisadores dos Estados Unidos e da Suíça estão criando lentes de contato que – uma vez combinadas com óculos especiais – podem fornecer uma visão telescópica para seus usuários.

A combinação das lentes com os óculos consegue ampliar 2,8 vezes o tamanho de uma imagem visualizada pelo usuário.

Filtros polarizadores permitem à pessoa mudar de uma visão normal para telescópica ajustando o óculos.

Esse sistema de visão telescópica foi desenvolvido para ajudar pessoas que sofrem com a cegueira provocada pela idade, mas também pode ter aplicações militares.

A degeneração macular relacionada à idade é uma das formas mais comuns de cegueira. Ela danifica a mácula, a parte do olho que lida com o detalhamento da imagem. Quando a mácula se degenera, a pessoa sofre uma perda na capacidade de reconhecer rostos e de realizar algumas tarefas, tais como dirigir e ler.

Controle preciso

As lentes de contato criadas pelos pesquisadores têm uma região central que permite a entrada de luz para uma visão normal. O elemento telescópico fica em um anel em volta da região central. Pequenos espelhos de alumínio, montados segundo um padrão específico, atuam como um aplificador que lança a luz para o anel ao menos quatro vezes antes de direcioná-la para a retina.

Durante o uso normal, a imagem ampliada é bloqueada por filtros polarizadores, e por isso não é vista. O usuário pode ligar o aparelho alterando esses filtros, posicionados no óculos, de forma que apenas a imagem ampliada é lançada sobre a retina.

Os pesquisadores Joseph Ford, da Universidade da Califórnia, e Eric Tremblay, da EPFL (Escola Politécnica Federal de Lausanne), na Suíça, construiram o sistema que filtra a luz adaptando óculos fabricados usados em televisores 3D.

Sua característica original era criar um efeito 3D ao bloquear de forma alternada as lentes esquerda e direita.

O protótipo produzido pela equipe tem oito milímetros de diâmetro, um milímetro de espessura na região central e 1,17 mm no anel ampliador.

“A parte mais difícil do projeto foi tornar as lentes ‘respiráveis’”, disse Tremblay à BBC. “Se você quiser usar as lentes por mais de 30 minutos é necessário que elas permitam que o olho respire”.

Segundo ele, a lente deve permitir a entrada de gases para que a córnea não fique sem oxigênio.

‘Encorajador’

A equipe de pesquisadores resolveu esse problema produzindo lentes com pequenos canais que permitem ao oxigênio fluir para o olho.

Porém, isso tornou o processo de fabricação das lentes muito mais difícil.

As versões das lentes permeáveis aos gases devem passar pelos primeiros testes clínicos em novembro, segundo ele. O objetivo é que portadores de deficiência visual consigam usar o equipamento o dia inteiro.

O projeto é uma evolução de tentativas anteriores de resolver o problema. Algumas delas envolviam implantes de lentes telescópicas e uso de óculos volumosos com estruturas de lentes de aumento.

Clara Eaglen, gerente de ações de saúde da organização RNIB, que auxilia pessoas com problemas de visão, afirmou que a pesquisa é interessante e elogiou o foco em degeneração macular.

“É encorajador que produtos inovadores como as lentes de contato telescópicas estejam sendo desenvolvidos, especialmente quando melhoram a visão que sobrou nos pacientes. Qualquer coisa que ajude a maximizar a visão funcional é muito importante, porque as pessoas com deficiência readquirem alguma independência e ficam menos isoladas”.

As lentes podem porém ser empregadas em outras áreas. Isso porque a pesquisa está sendo financiada pelo Darpa, o braço de pesquisas das Forças Armadas dos Estados Unidos.

Analistas dizem que os militares buscam na iniciativa uma forma de criar uma “super visão” e não resolver o problema da degeneração macular.

Curiosidades na internet

Brasileiros criam membrana 3D para iPad

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/tec/2013/06/1299002-brasileiros-desenvolvem-membrana-3d-para-ipad.shtml

Tablets com tela 3D já existem no mercado. Alguns contam com óculos especiais para fazer o efeito funcionar, enquanto outros nos livram desse incômodo.

Nessa linha, uma start-up brasileira desenvolveu uma tecnologia capaz de levar as três dimensões ao iPad, sem a necessidade de adicionar lentes à frente dos olhos.

Disponível para todas as gerações do tablet da Apple, com exceção do iPad mini, a Magoo é uma membrana que simula o efeito tridimensional em fotos e vídeos. Ela funciona em conjunto com um aplicativo, também criado pela empresa, que converte imagens comuns para 3D em tempo real.

A tecnologia é similar à do 3DS, console de videogames portátil da Nintendo, que usa o princípio da visão estereoscópica (quando o cérebro forma uma imagem baseada em pontos específicos de duas imagens deslocadas) para criar uma ilusão tridimensional.

No caso da Magoo, são as finas linhas escuras presentes na membrana de policarbonato que “direcionam” partes das imagens para produzir o efeito desejado.

Joel Silva/Folhapress
Membrana feita por brasileiros dispensa óculos e usa tecnologia similar à do Nintendo 3DS
Membrana 3D desenvolvida por brasileiros dispensa o uso de óculos especiais pois simula o efeito 3D por meio da estereoscopia

O idealizador da membrana e sócio da Magoo Tecnologia, André Zanuto, 25, ressalta que as imagens não “pulam da tela, como no cinema, mas ganham uma sensação de profundidade”.

O efeito não é surpreendente –depende muito das imagens visualizadas. Mas a experiência é divertida, boa para distrair familiares e amigos.

LICENÇA

A Magoo é a primeira tecnologia 3D para iPad que funciona sem a necessidade de óculos licenciada pela Apple. “Existem outros acessórios do gênero, mas todos são películas não destacáveis, que ficam grudadas no dispositivo”, explica Zanuto. “Elas não podem receber a licença porque, para a fabricante, atrapalham a experiência do usuário.”

Diferentemente da concorrência, a membrana tem presilhas que permitem sua remoção do iPad após o uso.

Curiosidades na internet

Projeto quer transportar iceberg para fornecer água à população

Acesse:http://www.baboo.com.br/hardware/hardware-tecnologia/projeto-quer-transportar-iceberg

Projeto quer transportar iceberg para fornecer água para população

Georges Mougin tem uma ideia diferente do usual. Ele quer transportar um iceberg de milhões de toneladas, da costa do Canadá, até as Ilhas Canárias, um arquipélago que fica na Espanha. Há 40 anos este homem dedica a vida aos icebergs, aquelas placas gigantes de gelo soltas no oceano. Como fundador da Iceberg Transport International (ITI), empresa responsável por transportar estes pedaços de gelo entre 1975 e 1981, o objetivo agora é maior: fornecer água para a população com o uso de icerbergs.

Projeção e simulação 3D de alta tecnologia

Para que isso aconteça, diferente de 40 anos atrás, Mougin conta com a tecnologia atual, que também na geografia e oceanografia avançou ano a ano. Graças a uma parceria com a empresa francesa especializada em projeção 3D e tecnologias do futuro Dassault Systemes, ele conseguiu montar sua equipe para dar continuidade ao seu trabalho.

Composta de engenheiros, oceanógrafos, geógrafos e especialistas em criação e modelagem 3D e mundos virtuais, ele finalmente teve uma projeção para que seu sonho se torne realidade.

Com a ajuda de um drone submarino que estudou todas as medidas do iceberg escolhido para o transporte, a Dassault Systemes conseguiu reproduzir com um alto nível de realismo o objeto de gelo. Com isso, a empresa criou um mundo virtual em torno do objeto e o projetou em três telas enormes, que podem ser analisadas com óculos especiais 3D.

Projeto quer transportar iceberg para fornecer água para população

Mougin e sua equipe, portanto, puderam analisar de perto todos os detalhes do objeto para viabilizar a viagem de milhares de toneladas pelo oceano atlântico. E a vantagem que a companhia oferece é justamente essa. Diferente de algumas décadas no passado, a ideia não poderia ser de fato viabilizada, por oferecer grandes riscos. Com a tecnologia atual e a projeção 3D criada pela Dassault Systemes, foi possível testar a ideia inovadora. E com uma simulação da realidade para que a equipe descobrisse de daria certo ou não.

O início de uma grande empreitada

Depois de muita pesquisa e análise na textura, peso, medidas, tamanho e aspectos físicos gerais do iceberg, a equipe usou também a tecnologia para cobrir o objeto. Uma espécie de manta sintética que ajuda o iceberg a manter sua temperatura e não derreter até chegar a seu destino final.

No final do teste, a Georges Mougin e sua equipe na Dassault Systemes conseguiram concluir a simulação com sucesso. Mesmo com especulações de tempestades marinhas durante o trajeto e até a quebra do iceberg, ele chegaria a seu destino. Como o barco viajaria em uma velocidade média de 1,5 Km/h, levaria quatro meses para o projeto ser completado.

Projeto quer transportar iceberg para fornecer água para população

Solução permanente

As contas finais revelaram que seriam gastos cerca de 4 mil litros de gasolina para que a viagem fosse realizada. Esta quantidade, porém, se tornaria em 4 milhões de litros de água para a população das Ilhas Canárias.

Como a principal fonte de água do local é conseguida por extração de sal da água do oceano, este processo torna a produção muito cara e que gasta muita energia elétrica, além de poluir os oceanos da região. O que torna a água do local em algo raro e não para todos. Uma das soluções, portanto, seria o uso do projeto de Mougin.

O próximo passo para ele, portanto, é conseguir colocar a missão em prática, já que a Dassault Systemes, com seu mundo virtual, conseguiu provar que essa ideia, até então um tanto utópica, é possível de ser realizada.

Curiosidades na internet

Serie fotográfica ‘Underdogs’ mostra cães vestidos com roupas de pessoas

Acesse:http://www.techtudo.com.br/curiosidades/noticia/2013/06/serie-fotografica-underdogs-mostra-caes-vestidos-com-roupas-de-pessoas.html

O fotógrafo Sebastian Magnani resolveu fazer uma combinação inustiada na série “Underdogs”, uma sequência de fotos que mostra cachorros vestidos com roupas de pessoas. Cada retrato mostra um cão em um estilo diferente e com uma personalidade própria.

Sebastian Magnani cria serie fotográfica "Underdogs". (Foto: Sebastian Magnani)Fotografia de cão da série fotográfica “Underdogs” (Foto: Sebastian Magnani)

 

Apesar dos tons escuros e sombrios, o projeto é muito divertido. Os acessórios utilizados para vestir os cachorros vão de perucas e colares até casacos variados e óculos escuros. Além disso, o fotógrafo buscou encontrar um estilo relacionado a cada tipo de raça dos cachorros.

Magnani iniciou o projeto em 2009 com o objetivo de entreter a si mesmo e todos os telespectadores que se deparassem com as imagens lúdicas. Entretanto, o sucesso superou as expectativas do fotógrafo. A serie já conta com a parte 1 e 2 e Sebastian Magnani garantiu que produzirá uma terceira parte da sequência.

Sebastian Magnani cria serie fotográfica com cachorros vestidos como pessoas. (Foto: Sebastian Magnani)Cão vestido com blusa branca e casado em “Underdogs” (Foto: Sebastian Magnani)
Sebastian Magnani cria serie fotográfica com cachorros vestidos como pessoas. (Foto: Sebastian Magnani)Cachorro veste roupas de mulher na série fotográfica “Underdogs” (Foto: Sebastian Magnani)

 

Curiosidades na internet

Google confirma: Glass terá sistema de som transmitido pelos ossos, sem fones

Acesse:http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/04/google-confirma-glass-tera-sistema-de-som-transmitido-pelos-ossos-sem-fones.html

O Google enfim revelou as especificações completas do Google Glass, e com ele uma surpresa ainda inédita no mercado: a gigante das buscas usará um sistema de áudio baseado na transdução por condução. Através das hastes dos óculos, o som será transmitido para o ouvido do usuário por meio de microvibrações em determinados ossos de sua cabeça, sem usar nenhum tipo de alto-falante.

Google Glass (Foto: Divulgação)Google Glass usará sistema de som sem alto-falantes (Foto: Divulgação)

A divulgação aconteceu nesta segunda-feira (15), em conjunto com a produção das primeiras unidades e a disponibilização da documentação da Mirror API para desenvolvedores.

Além da surpresa do áudio, a tela montada a frente do olho do usuário também chamou atenção. Serão 640 x 360 pixels de resolução que, em proporção, equivaleria a um monitor de 25 polegadas de alta definição colocado a 2,5 metros de distância do espectador.

Junto a isto, os recursos multimídia dos óculos incluem uma câmera de 5 megapixels para fotos, com possibilidade de gravar vídeos em 720p. Já a capacidade de armazenamento total é de 16 GB, dos quais 12 GB serão utilizáveis e sincronizados com o serviço de nuvem da Google. Para se conectar a Internet, ele usará o padrão 802.11 b/g ou o Bluetooth pareado a outros dispositivos.

Segundo o Google, os óculos será compatível com qualquer celular que possua Bluetooth, mas seu funcionamento pode variar de acordo com cada aparelho. Os recursos de SMS e GPS, por exemplo, só serão possíveis através do aplicativo “MyGlass Companion”, que requer Android 4.0.3 ou superior.

Para sustentar todos estes recursos, a bateria terá duração de um dia “de uso típico”, segundo o Google. A companhia lembra, nessa especificação, que recursos como Hangouts e gravação de vídeos podem pedir um uso mais intenso da bateria, que será recarregada via cabo microUSB.

Curiosidades na internet

Dolby e Philips lançam tecnologia ‘Dolby 3D’; o fim da era dos óculos

Acesse:http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/04/dolby-e-philips-lancam-tecnologia-dolby-3d-o-fim-da-era-dos-oculos.html

A Dolby e a Philips lançaram nesta segunda-feira (08) o formato de imagens em três dimensões “Dolby 3D“, que não terá mais a necessidade do uso de óculos estereoscópicos. Ou seja, você não precisa colocar nenhum acessório adicional para que as imagens saltem da tela ou para visualizar uma melhor sensação de profundidade. O novo formato será desenvolvido para TVs, smartphones, tablets e PCs.

Philips ajudou na criação do novo formato Dolby 3D (Foto: Divulgação)Philips ajudou na criação do novo formato Dolby 3D
(Foto: Divulgação)

Além de eliminar o uso de óculos tridimensionais, o Dolby 3D não projeta imagens finas, permitindo que o espectador possa enxergar o vídeo de ângulos diferentes, sem comprometimento da qualidade. O recurso estará disponível para fabricantes de aparelhos através de um licenciamento da tecnologia junto com as duas empresas.

As empresas poderão utilizar, para implementação do Dolby 3D, as ferramentas de pós-produção NUKE e OCULA, da Foundry,  para desenvolver conteúdos compatíveies com as TVs e tablets que carregarem essa nova tecnologia. Dessa maneira, os filmes poderão ser filmados para funcionar em um sistema 3D que exclui a necessidade dos óculos, que usam imagens chapadas.

A tecnologia será apresentada em um evento chamado de NAB 2013, que ocorre em Las Vegas, nos Estados Unidos, entre os dias 6 e 11 de abril.

Curiosidades na internet

Google quer que você controle até o portão da garagem e a geladeira com o Glass

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/google/Google-quer-que-voce-controle-ate-o-portao-da-garagem-e-a-geladeira-com-o-Glass/

Sergey Brin

O Google tem intensificado seus esforços na conclusão de aplicações e recursos para os seus óculos inteligentes, o Google Glass. E nesta quinta-feira (21), a empresa entrou com pedido de registro de nova patente tecnológica para o Glass, que permitirá que os óculos acionem o portão da garagem e até abram a porta da geladeira. As informações são do Engadget.

Com base nas imagens do pedido de patente, acredita-se que o Google deverá reunir recursos de realidade aumentada com conexão sem fio, permitindo que os usuários controlem aparelhos e outros dispositivos conectados em suas casas. Aparentemente, o dispositivo utilizará tecnologias de identificação visual, Bluetooth, RFID e até QR Codes como método para identificar e reconhecer os objetos que podem ser controlados remotamente.

Assim que o Glass reconhecer o objeto, ele disponibilizará informações relacionadas a ele para o usuário incluindo uma interface de controle remoto. Os controles, por sua vez, seriam sobrepostos aos objetos que o usuário deseja controlar com o Glass, e com uma conexão Wi-Fi, por exemplo, os óculos poderão abrir e fechar portões e geladeiras.

Nova patente Google GlassReprodução: Engadget

No começo do mês, o Google apresentou os primeiros aplicativos para o Glass durante a conferência SXSW (South by Southwest) em Austin, no estado norte-americano do Texas. O dispositivo já está em período de pré-venda podendo ser adquirido por US$ 1.500 (R$ 3 mil).

Curiosidades na internet

HP está desenvolvendo tecnologia 3D sem óculos para dispositivos móveis

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/hp/HP-esta-desenvolvendo-tecnologia-3D-livre-de-oculos-para-dispositivos-moveis/

Óculos 3D

A Hewlett-Packard (HP) tem trabalhado duro na criação de tecnologias 3D para dispositivos móveis que dispensem o uso de óculos para enxergar as imagens em terceira dimensão.

Pesquisadores da HP disseram ao jornal científico Nature que esse tipo de tecnologia pode transformar a visualização de dados, treinamento médico e o entretenimento.  O efeito seria “mais parecido com o que você viu no filme ‘Star Wars’ com o holograma da Princesa Leia”, explica um dos autores do estudo, David Fattal, isso porque a tecnologia pode ser visualizada de até cerca de 200 pontos de vista diferentes, possibilitando que mais de uma pessoa veja a imagem 3D ao mesmo tempo.

Holograma Princesa Leia

Em vez da projeção do holograma, a exibição 3D será feita na própria tela do aparelho, mas a difusão da luz permitirá que seja visualizada de vários pontos de vista diferentes (Imagem: Internet)

De qualquer forma, criar tecnologia 3D para dispositivos móveis é bem diferente de fazê-lo para filmes. De acordo com as informações da Nature, apesar da comparação com o holograma, essa tecnologia funciona de uma maneira diferente.

A tecnologia usa vários truques ópticos e geométricos para criar as imagens 3D. Minúsculas ranhuras circulares também são gravadas na superfície do dispositivo, e elas salientam diferentes pontos de vista e cores. O que é criado é um amplo ângulo de visão de modo que os usuários podem ver uma imagem em 3D, mesmo com inclinação e movimento da tela.

Várias companhias têm trabalhado ao longo dos últimos anos para criar tecnologias 3D que dispensem o uso dos óculos. O resultado mais conhecido é o Nintendo 3DS, o console portátil que traz imagens tridimensionais dos games, mas desde que os jogadores olhem diretamente para a tela, sem se mover.

A nova tecnologia da HP, no entanto, dá mais liberdade aos usuários e permite que eles vejam as imagens “em uma zona de visão sem precedentes de 90 graus”. Mas vale ressaltar que essa novidade não funcionaria para conteúdos de vídeo ao vivo, já que seriam necessárias pelo menos 64 câmeras capturando tudo ao mesmo tempo.

 

Curiosidades na internet

Americano apresenta programa que permitirá experimentar óculos virtualmente

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/tec/1238921-americano-apresenta-programa-que-permitira-experimentar-oculos-virtualmente.shtml

Um americano apresentou nesta semana uma técnica que permite que uma pessoa prove óculos de grau ou óculos de sol manipulando imagens em 3D de si mesmo em um tablet, smartphone ou computador.

Jonathan Coon, fundador da empresa de lentes de contato 1-800 Contacts, lançou este serviço na conferência TED sobre inovação, que se realiza até esta sexta (1º) em Long Beach, no sul da Califórnia.

“Uma das grandes ironias dos óculos é que as pessoas que os utilizam normalmente não podem ver como eles ficam em seu rosto, porque para isso devem usar lentes de contato”, disse Coon.

“Pela primeira vez, elas poderão se ver ao provar óculos”, indicou na quarta-feira (27).

Divulgação
Aplicativo da 1-800 Contacts para ver imagens de seu próprio rosto em 3D e testar óculos virtualmente
Aplicativo da 1-800 Contacts para ver imagens de seu próprio rosto em 3D e testar óculos virtualmente

O software Glasses.com, que será lançado em abril para iPads e iPhones, bem como para dispositivos móveis equipados com o sistema operacional Android e navegadores web, usa câmeras para criar imagens 3-D da cabeça das pessoas, de acordo com Coon, e também possibilita a compra on-line do produto.

As pessoas podem ver a si mesmas com uma ampla gama de lentes e armações, usando controles de toque para ver seus perfis virtuais. Os compradores podem prosseguir com o pedido de compra enviando os óculos que escolheram.

“A ideia é que as pessoas possam experimentar e comprar simultaneamente”, disse Coon.

“Nós usamos as mesmas ferramentas básicas que são utilizadas para efeitos especiais em um filme, sem alterar a realidade”, emendou.

Coon era um estudante na Universidade Brigham Young, em Utah (oeste dos Estados Unidos), quando fundou a 1-800 Contacts em um dormitório estudantil em 1992.

Glasses.com é uma divisão da 1-800 Contacts, que foi comprada no ano passado pelo seguro de saúde Wellpoint titan, em um negócio avaliado em cerca de US$ 900 milhões, segundo a imprensa.

Curiosidades na internet

futuristas; veja novo vídeo

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/tec/1233969-google-amplia-oferta-de-seus-oculos-futuristas-veja-novo-video.shtml

The New York TimesO Google vai permitir que um público maior teste seus óculos futuristas.

Nesta quarta-feira (20), a empresa anunciou que está aceitando inscrições de pessoas que querem testar o aparelho –antes apenas disponibilizado para interessados que o solicitaram na conferência de desenvolvedores do Google, no ano passado.

AnteriorPróxima
Foto captada com o Google Glass por um dos fotógrafos selecionados para o Google+ Photographer’s Conference Leia mais

A companhia ainda divulgou detalhes sobre os óculos –chamados de Google Glass–, alguns dos quais já eram conhecidos. Eles gravam fotos e vídeos, mostram rotas para pedestres, fazem buscas na web, enviam mensagens, fazem traduções e exibem alertas.

Quem quiser testar os óculos antes de eles serem comercializados deve se inscrever até o dia 27 de fevereiro com um post de até 50 palavras usando a hashtag #ifihadglass no Google+ ou no Twitter. Os interessados podem incluir fotos ou vídeos e exemplos do que eles poderiam fazer com o aparelho.

“Estamos procurando indivíduos criativos e usados que querem se juntar a nós e ser parte da construção do futuro do Glass”, publicou a empresa no Google+.

Os escolhidos pelo Google precisarão pagar US$ 1.500 e pegar os óculos em um evento em Nova York, San Francisco ou Los Angeles.

Em um vídeo publicado nesta quarta, o Google mostra algumas de suas próprias ideias sobre o que fazer com os óculos. Uma bailarina pode transmitir um vídeo ao vivo dos bastidores e do palco, um turista na Tailândia pode pedir ao Google que traduza “delicioso” enquanto come macarrão em um barco e uma família pode usar videochat com uma aniversariante que mora longe.

Curiosidades na internet

BBC Click: Óculos do Google grava vídeo e tira foto com comando de voz

Acesse:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/02/130221_bbcclick_oculos_gvu.shtml

Empresa está procurando ‘cobaias’ para teste da versão beta; confira esta e outras notícias de tecnologia.

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

O BBC Click, boletim semanal de tecnologia da BBC Brasil, mostra a nova invenção do Google: o Project Glass. Trata-se de um óculos capaz de tirar fotos e registrar vídeos com comando de voz.

A tecnologia também é ligada às redes sociais, mostrando dados de amigos no canto da lente. Agora o Google está a procura de voluntários para testar uma versão beta do óculos, que ainda está sendo desenvolvido.

Project Glass, do GoogleÓculos do Google que faz fotos e vídeos ainda está em fase de desenvolvimento

A semana também foi dominada pelo assunto “hackers”. A Apple reagiu a uma vulnerabilidade do Mac e lançou uma atualização de segurança para seus usuários.

Nos Estados Unidos, uma empresa divulgou um relatório acusando os chineses de estarem por trás de ciberataques pelo mundo.

E na Grã-Bretanha, o governo leiloou bandas para uso da tecnologia 4G – algo que deve acontecer no Brasil só no ano que vem. As gigantes do setor de telefonia móvel na Grã-Bretanha participaram da concorrência para poder transmitir dados na frequência com maior velocidade.

Mas a arrecadação de 3,5 bilhões de libras (cerca de R$ 10 bilhões) foi decepcionante – e menos de um quinto do que se arrecadou no leilão da tecnologia anterior, 3G.

Curiosidades na internet

Óculos simulam cinemas de alta definição em 3

Acesse:http://www.mundodastribos.com/oculos-simulam-cinemas-de-alta-definicao-em-3d.html

A sensação é a mesma de visualizar uma tela de 750 polegadas de um cinema 3D.

307549 Personal 3D Viewer im1 Óculos simulam cinemas de alta definição em 3D

 

Imagine que, assim como os fones de ouvido permitem que você escute músicas de qualidade de maneira discreta e particular, fosse possível assistir a um filme de cinema em 3D sozinho com o auxílio de um par de óculos especial. Bem, a Sony não somente criou isso como ainda o fez com a mesma qualidade das imagens de um filme em Blu-Ray e introduziu um sistema de som 5.1 igual ao dos home theatres.

Trata-se de uma versão doméstica dos aparelhos dignos de filmes de ficção científica. O Personal 3D Viewer pesa apenas 400 gramas e se conecta a aparelhos de Blu-Ray e videogames via cabo HDMI. O visor é levemente afastado do rosto do usuário e permite que este utilize óculos por baixo dele. O Personal 3D Viewer conta com duas telas de OLED com aproximadamente 0,7 polegadas cada.

O aparelho reproduz uma imagem diferente para cada olho e o cérebro se encarrega de criar a ilusão das três dimensões. Para o usuário, a sensação é a mesma de sentar diante de uma tela de cinema de 750 polegadas a uma distância de 20 metros. Finalmente, o sistema de som 5.1 (dos home theatres comuns) promete uma imersão ainda maior do espectador.

O Personal 3D Viewer começa a ser vendido em novembro nos Estados Unidos por US$ 799. Ainda não há previsão de chegada do aparelho da Sony no Brasil.

Curiosidades na internet

Cientistas criam lentes de contato com LCD

Acesse:http://www.baboo.com.br/2012/12/cientistas-criam-lentes-de-contato-com-lcd/

Pesquisadores da Universidade de Ghent, na Bélgica, descobriram uma forma de construir lentes de contato com LCD, em uma espécie de micro monitor. Há muito caminho para ser trilhado à frente, mas este pode ser o começo da produção de uma nova tecnologia, que pode até tornar realidade o olho biônico.

Cientistas criam lentes de contato com LCD

Lentes de contato com LCD

Diversas instituições de pesquisa trabalham hoje para desenvolver uma forma de utilizar eletrônicos presos na superfície do olho. Caso isto se torne realidade, será possível, por exemplo, inserir dispositivos de varredura e prevenção nos olhos, para evitar doenças como catarata. Além disso, é possível também usar lentes especiais que bloqueiam radiação aos olhos, servindo como um óculos de sol automático.

Há, porém, problemas envolvidos na tecnologia. O principal deles é de onde vem a energia para o pequeno dispositivo funcionar. Fora que ele tem de ser durável e ter o formato e condições perfeitas para se adaptar ao olho humano.

O protótipo dos pesquisadores da Universidade de Ghent mostra a imagem de um sifrão. Com isso, dá para notar o tamanho e resolução do monitor. Por enquanto, ele ainda não pode ficar transparente por completo. Ou completamente opaco. Mas este é um assunto para a equipe de cientistas resolver.

As pesquisas futuras em torno da tecnologia seguirão em frente, e contam também com diversas direções para seguir. Além da Universidade, o IMEC também pesquisa sobre a criação de micro monitores.

Curiosidades na internet

Parecido com óculos, Re-Timer estimula cérebro para acabar com jet lag

Acesse:http://www.techtudo.com.br/curiosidades/noticia/2012/11/parecido-com-oculos-re-timer-estimula-cerebro-para-acabar-com-jet-lag.html

Quem viaja muito para lugares com fusos horários diferentes sente os efeitos de um fenômeno conhecido como jet lag: em resumo, o cérebro acaba ficando fora de sincronia com o horário real. O Re-Timer, criação do professor Leon Lack, é um dispositivo que “reseta” o cérebro e evita que a sensação de descompasso entre tempo biológico e tempo real cause incômodo.

Re-Timer pode acabar com o incômodo do jet-lag (Foto: Reprodução)Re-Timer pode acabar com o incômodo do jet lag (Foto: Reprodução)

Acredita-se que o jet lag seja causado porque a percepção da luz solar pelo cérebro tem seu ciclo alterado devido à diferença de fuso horário. O Re-Timer emite uma suave luz verde, que “engana” o cérebro e mantém o ciclo circadiano da mente em ordem. Este ciclo é responsável por manter diversos ritmos de funcionamento do organismo.

O Re-Timer foi desenvolvido após 25 anos de pesquisas sobre o sono na Universidade Flinders, na Austrália. De acordo com os desenvolvedores do aparelho, ele deve ser utilizado por durações definidas e em horários delimitados. Dependendo da necessidade, esse uso programado do aparelho atrasa ou adianta o horário de percepção do cérebro, evitando que o jet lag se manifeste.

Leon Lack afirma que quem deseja adiantar o relógio biológico, precisa usar o Re-Timer por 50 minutos por três dias, logo depois de acordar pela manhã. Para atrasar o relógio do corpo, basta fazer o mesmo processo durante três dias. A diferença é que o Re-Timer precisa ser usado antes de ir dormir. O óculos é recarregado via USB e sua bateria tem duração de quatro horas.

O dispositivo pode ser adquirido online por cerca de US$ 260 (R$ 545 aproximadamente). De acordo com o seu idealizador, o aparelho funciona melhor que medicamentos e não tem nenhuma contraindicação.

Curiosidades na internet

Mulher volta a enxergar após implante de ‘telescópio’ no olho

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/bbc/1163697-mulher-volta-a-enxergar-apos-implante-de-telescopio-no-olho.shtml

Uma mulher de 89 anos com uma grave doença ocular deverá voltar a enxergar com definição graças ao implante de um micro-telescópio do tamanho de uma ervilha em seu olho esquerdo.

A operação, feita na Califórnia, nos Estados Unidos, é pioneira e pode se tornar um procedimento de rotina nos próximos anos.

Virginia Bane sofre de Degeneração Macular Relacionada à Idade (AMD, na sigla em inglês), uma das principais causas de cegueira. “Já consigo enxergar melhor. As cores são mais vibrantes, bonitas e naturais, e consigo ler letras grandes com meus óculos”, diz.

UC Davis
Virginia Bane sofre de Degeneração Macular Relacionada à Idade
Virginia Bane sofre de Degeneração Macular Relacionada à Idade

Pintora de aquarela, ela também espera retomar suas atividades após quase dez anos de problemas de visão. “Não conseguia ler durante os últimos sete anos, e estou animada para pintar novamente”, acrescenta.

A causa exata da degeneração macular ainda é desconhecida, mas o problema se agrava conforme o olhos envelhecem. A mácula é composta de milhões de células fotossensíveis responsáveis pela visão central clara, nítida e detalhada.

Aos 89 anos, Virginia Bane deve voltar a ler e pintar após cirurgia pioneira

Trata-se da parte mais sensível da retina, que está localizada na parte de trás do olho humano e que transforma a luz em impulsos elétricos que são enviados ao cérebro através dos nervos óticos. O cérebro lê os impulsos e os traduz em imagens.

No caso do olho atingido pela doença, pontos centrais não são vistos com clareza. “A degeneração macular danifica a retina e causa um ponto de cegueira no campo central de visão das pessoas. O implante telescópico restaura a visão ao projetar imagens sobre uma parte não danificada da retina, o que torna possível ver os rostos das pessoas e detalhes de objetos localizados diretamente diante delas”, diz Mark Mannis, professor titular de oftalmologia e ciências da visão do Centro de Olhos do hospital da universidade americana US Davis, em Sacramento, na Califórnia.

Virginia Bane é a primeira de uma lista de 50 pessoas que se voluntariaram nos Estados Unidos para receber o implante. “A visão de Virginia vai continuar melhorando com o tempo, conforme ela recondiciona seu cérebro para enxergar”, diz Mannis.

Já o médico Richard van Buskirk explica a diferença entre os dois olhos da paciente. “Ela basicamente usa o olho esquerdo com o implante telescópico para enxergar detalhes, tais como usar um teclado de micro-ondas ou ler um livro. Seu olho direito, sem tratamento, proporciona visão periférica, o que ajuda com a mobilidade, incluindo atividades como caminhar ou se localizar dentro de sua casa”, diz.

“Eventualmente, seu cérebro alternará de forma automática, usando a capacidade de cada olho conforme for necessário”, indica.

Curiosidades na internet

Sony lança óculos com legendas para pessoas com problemas de audição

Acesse:http://canaltech.com.br/noticia/cinema/Sony-lanca-oculos-com-legendas-para-pessoas-com-problemas-de-audicao/

Óculos 3D

Pessoas que possuem problemas de audição encontram diversos problemas na hora de ir ao cinema e assistir a um filme em sua língua materna. São poucos os cinemas que possuem sessões com legendas para pessoas com deficiência.

Mas a Sony acaba de lançar uma nova tecnologia que cria legendas na base de um par de óculos para as pessoas que não conseguem entender com facilidade as falas do filme, o Entertainment Access Glass.

“A transformação da indústria do cinema com a tecnologia digital criou uma oportunidade de entregar dados de forma eficiente, em closed-caption, para os clientes. Isto coincide com a grande demanda de pessoas com dificuldades de audição para assistir filmes com mais facilidade. A Sony tem, portanto, desenvolvido um par de óculos holográfico para entretenimento”, afirmou a empresa em nota oficial.

Access Glass Sony

O Access Glass também tem suporte para imagens em três dimensões (Foto: Reprodução/Technabob)

Os óculos contêm um par de minúsculos projetores que podem sobrepor as legendas em frente dos olhos do usuário. Segundo o Technabob, o aparelho oferece uma grande variedade de ajustes para o tamanho, posição, cor e linguagem das legendas, proporcionando flexibilidade para uma variedade de olhos e condições de visão.

Além disso, os óculos também possuem suporte em 3D, sem a necessidade de utilizar outro tipo de lente para a visualização de um longa-metragem que utiliza essa tecnologia.

O Access Glass foi desenvolvido para ser compatível com o sistema de projeção cinematográfica da Sony, o 4K Digital Cinemas, e se conecta diretamente ao projetor através de uma pequena caixa de comunicação. Os óculos, por sua vez, captam as legendas de um sistema de closed-caption exclusivo, instalado junto com o servidor do cinema.

Os óculos da Sony já estão em fase de produção e a empresa planeja expandir o suporte do seu mecanismo para outros sistemas de projeção disponíveis no mercado.

Confira abaixo um vídeo demonstrativo do Access Glass:

Curiosidades na internet

Óculos de realidade aumentada: Google registra patente

Acesse:http://www.vocesabia.net/tecnologia/oculos-de-realidade-aumentada-google-registra-patente/

galssbanner

A gigante de buscas Google patenteou a tecnologia dos seus óculos de realidade aumentada, conhecida como “Glass Project”.

O que é RA?

Realidade Aumentada (RA) é a integração de informações virtuais a visualizações do mundo real, como, por exemplo, através de uma câmera. Atualmente, a maior parte das pesquisas em RA está ligada ao uso de vídeos transmitidos ao vivo, digitalmente processados e ampliados pela adição de gráficos criados pelo computador. Pesquisas avançadas incluem o uso de rastreamento de dados em movimento, reconhecimento de marcadores confiáveis, utilizando mecanismos de visão, e a construção de ambientes controlados, contendo qualquer número de sensores e atuadores.

A definição de Realidade Aumentada, dada por Ronald Azuma, é a mais aceita. A definição ignora um subconjunto do objetivo inicial da RA, mas é entendida como uma representação de todo o domínio da RA: Realidade Aumentada é um ambiente que envolve tanto a realidade virtual quanto elementos do mundo real, criando um ambiente misto em tempo real. Por exemplo, um usuário da RA pode utilizar óculos translúcidos e, através destes, poderia ver o mundo real, bem como imagens geradas por computador projetadas no mundo. Azuma define a Realidade Aumentada como um sistema que:

  • Combina elementos virtuais com o ambiente real.
  •  É interativa e tem processamento em tempo real.
  • É concebida em três dimensões.

Esta definição é utilizada em algumas partes da literatura de pesquisa em RA (Azuma, 1997). Já existem vários sistemas de manipulação da Realidade Aumentada, disponíveis gratuitamente. Existem aplicações educacionais, jogos e aplicações de RA nas mais variadas áreas, como: bioengenharia, física e geologia.

Mudando a visão da realidade
Óculos para realidade aumentada poderão ser colocados à venda até o fim do ano. Há muito tempo se fala de RA, que nada mais é do que acrescentar camadas de informação, extraídas da Internet, à realidade ao nosso redor. Segundo os especialistas, esta tecnologia pode ter, no futuro, uma infinidade de utilidades – desde ensinar a consertar o motor de um avião, até ver legendas em tempo real, se alguém falar conosco em chinês, por exemplo. Mas, ainda que a proliferação dos smartphones, nos últimos anos, nos tenha permitido vislumbrar o que é a RA, ainda não apareceu uma tecnologia que a faça deixar de ser uma simples curiosidade para entretenimento e que não nos obrigue a tirar o aparelho do bolso a todo momento.

Talvez por isso, a Google está aplicando grande parte da sua criatividade para o desenvolvimento dos óculos de RA. O produto final ainda é um mistério, mas já está gerando uma onda de rumores no mundo tecnológico. A última informação sobre o produto foi publicada em um blog do jornal americano The New York Times, no qual se afirma que os óculos poderiam ser colocados à venda até o final do ano, a um preço entre US$ 250 e US$ 600.

Ainda segundo o blog, funcionários da empresa informaram, anonimamente, que o dispositivo terá uma câmera de baixa resolução, para coletar imagens que seriam comparadas com dados online. Também seriam incorporados sensores de movimento e sistemas de posicionamento global (GPS). Outra mídia americana também publicou que a Google teria investido US$ 120 milhões em instalações para testar a “precisão de uma tecnologia ótica”. O projeto está sendo desenvolvido em total segredo pelo Google X, o laboratório para assuntos “top secret”, localizado na sede da companhia.

A Apple está no jogo

Comenta-se também a respeito de outro dispositivo portátil de RA em desenvolvimento pela Apple. Neste caso, seria algo parecido com o iPod Nano de pulseira, mas feito com cristal flexível. O usuário se comunicaria com o aparelho por meio do assistente virtual da Apple, o software Siri. Até agora, porém, a empresa não confirmou (nem desmentiu) nenhum dos rumores sobre esse dispositivo.

Aplicações da tecnologia

Desde 2008, os usuários já contam com aplicações de smartphones que permitem vislumbrar as possibilidades que a RA oferece. Com a aparição da computação de nuvem e o aumento das velocidades de transmissão de dados, os especialistas preveem um futuro brilhante para a RA, que poderá ter uso em âmbitos diversos, como educação, arquitetura, engenharia, indústria, publicidade e medicina. “Colocar camadas de informação adicionais sobre a realidade é incrivelmente útil”, afirmou Claudio Feijoo, subdiretor de investigação do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Universidade Politécnica de Madrid. “Imagine que alguém tenha que reparar o motor de um avião. Com a realidade aumentada, poderá saber como se chama cada peça, qual a sua função exata e o seu lugar exato no conjunto. Não seria a mesma coisa se ensinassem a você numa lousa”, ele comentou. “Numa cidade, alguém perdido pode colocar os óculos e eles indicarão como se chamam as ruas e qual o rumo correto a seguir”, acrescenta ele.

RA auditiva

Os pesquisadores já apontam para além da realidade aumentada visual e já falam da realidade aumentada auditiva. O cientista Jordi Janer explora o modo de incorporar elementos sonoros de RA na Universidade Pompeu Fabra, de Barcelona, na Espanha, e explica: “Nós estamos tentando desenvolver sistemas de áudio com realidade aumentada. Escutar mais coisas do que já escutamos. Isso criaria, por exemplo, a possibilidade de ir a um concerto e poder escutar mais um instrumento do que outro, ou estar em um ambiente com música alta e poder ‘aumentar o volume’ de alguém que fala conosco. Também se estuda incorporar sons a elementos reais armazenados na Internet. Isso permitiria, por exemplo, um Google Street View no qual se pudesse escutar o barulho dos carros e das pessoas ao passar.

Três patentes

Três patentes de um dispositivo de exibição para usar no rosto, com características dos tão falados óculos, foram submetidas a autoridades, pela Google, no último outono, no Hemisfério Norte. As patentes fazem referência a funções como a exibição de dados diante dos olhos do utilizador e reprodução de áudio. Em abril, a Google revelou detalhes de sua pesquisa sobre os óculos e mostrou um vídeo demonstrativo do protótipo. As patentes mostram imagens de diferentes versões de óculos de RA, alguns com lentes e outros sem elas. Os protótipos estão sendo testados por executivos da empresa, como Sergey Brin, co-fundador da empresa, e Gundotra Vic, executivo encarregado de redes sociais. O vídeo demonstrou uma simulação da visão dos óculos equipados com um microfone e uma pequena tela transparente sobre o olho direito do usuário. Além de exibirem informações sobre os arredores, os óculos possibilitariam a comunicação com outras pessoas, a navegação na web, a audição de músicas e a obtenção de fotos.

Outras empresas

Há outras empresas que pesquisam os óculos de RA, como, por exemplo, a californiana Oakley, que desenvolve óculos destinados a atletas. Outras empresas tentaram ser pioneiras do conceito, mas não foram muito longe porque, segundo analistas, as suas versões exigiam que os usuários carregassem uma bateria separada. Existem grandes oportunidades para a publicidade com os sistemas de realidade aumentada, principalmente se eles tiverem, embutido, o rastreio de localização GPS. As oportunidades de obter lucro seriam enormes, mas ainda há muitas questões envolvidas, como a diminuição das dimensões do aparelho e fazer com que o computador que recebe e processa os dados seja realmente portátil.

Curiosidades na internet

%d blogueiros gostam disto: