Implante de eletrodos na coluna devolve movimentos a paralítico

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/41295/41295

Movimento eletrodo pernas

Uma nova tecnologia está sendo testada na Universidade de Louisville, em Kentucky, nos EUA, para devolver os movimentos de algumas partes do corpo a pessoas com paralisia. Por meio de eletrodos posicionados na região lombossacral da coluna, um paciente conseguiu estimular os nervos para recuperar parcialmente os movimentos das pernas.

“O implante devolve o que, em pessoas saudáveis, seria chamado de potencial de descanso da espinha dorsal, a atividade elétrica que mantém a espinha alerta, mas que enfraquece com a falta de uso em pessoas paralisadas. Assim que conseguimos restaurar artificialmente este ímpeto elétrico, a espinha ‘acorda’, registra a intenção do cérebro para mexer as pernas e depois a converte em movimentos para os neurônios”, detalha um artigo médico.

Os 16 eletrodos utilizados nos testes não conferem bom nível de precisão, o que resulta em movimentos bruscos e desastrados. Os cientistas estudam aumentar este número para 27, visando um controle que possa até devolver a habilidade de andar. Além da recuperação do movimento nas pernas, os pacientes disseram ter recuperado funções sexuais, da bexiga e do reto.

Veja abaixo as reações do paciente: 

Curiosidades na internet

Veja como Google Glass pode trazer independência a quem tem Parkinson

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/41314/41314

O Google ainda não liberou o Glass para o público em geral, mas há bastante tempo vem colocando os óculos inteligentes nas mãos de quem pode descobrir as mais variadas finalidades para o produto. O pessoal da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, encontrou uma boa razão para apostar na novidade.

Com uma série de aplicativos personalizados, eles conseguiram transformar o Glass em um apoio para quem sofre com o mal de Parkinson, tornando essas pessoas mais independentes.

Conforme explica o Engadget, o Glass envia alertas sutis para lembrar os pacientes sobre a hora de tomar medicações e suas próximas consultas médicas. Também os lembra de falar e engolir, para evitar que salivem em excesso.

Os sensores de movimento dos óculos são usados para evitar que a pessoa “congele”, exibindo pistas visuais que os ajuda a desbloquear o cérebro e recuperar o fluxo de pensamento.

O projeto ainda está em estágio inicial e, como não se sabe ao certo quando o Glass será lançado de fato, fica difícil prever quando ele poderá ser usado para ajudar quem tem Parkinson. Mas os pesquisadores continuam trabalhando para desenvolver aplicações que atendam a necessidades específicas de voluntários.

Tecnologia recarrega celular em 30 segundos

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/41269/41269

Quem tem smartphone já sabe: se precisa muito do aparelho, precisa levar o carregador aonde for; não à toa surgem modelos mais modestos que passam semanas ligados e até mesmo quem prometa bateria infinita. A ideia da empresa israelense StoreDot é mais modesta, mas ainda assim promissora: recarregar o aparelho rapidamente.

O que a StoreDot promete é fazer a energia voltar ao smartphone em apenas 30 segundos. A empresa mostrou a novidade hoje pela primeira vez, usando um Galaxy S4 como exemplo. O aparelho foi modificado para operar com a bateria e o carregador projetados pela empresa. A tecnologia, garante a StoreDot, possibilita milhares de ciclos de carga e descarga, prolongando consideravelmente a expectativa de vida da bateria.

Levando em conta que vários investidores da StoreDot são fabricantes asiáticas, espera-se que a tecnologia apareça no mercado. Só que isso não ocorrerá tão cedo, porque o CEO da empresa, Doron Myersdorf, disse ao The Next Web que em um ano o produto final estará pronto, com a produção em massa prevista só para 2016.

Curiosidades na internet

ASSISTA: Cientistas desenvolvem eletricidade sem fio que logo estará em nossas casas

Acesse:http://noticias.seuhistory.com/assista-cientistas-desenvolvem-eletricidade-sem-fio-que-logo-estara-em-nossas-casas

Desde a mais tenra infância, a Dra. Katie Hall sonha com eletricidade. Atualmente, a garotinha fascinada com as descobertas sobre eletroestática de Nikola Tesla ocupa a direção da WiTricity, uma moderna empresa especializada em desenvolvimento de eletricidade sem fio baseada em campos magnéticos.
.
Nikola Tesla desenvolveu seu projeto sobre torres eletroestáticas em 1891, mas seu invento foi preterido em função de outros interesses.  Atualmente, as bobinas de fio elétrico desenvolvidas pela WiTricity representam uma questão de justiça histórica. Cada vez que uma tomada é conectada à base, um campo magnético é produzido. Quando outra bobina se encontra em proximidade a este campo, uma carga elétrica é gerada, mesmo sem a presença de cabo. O que ocorre é uma transferência de energia sem fio. O método se assemelha bastante ao utilizado pela tecnologia Wi-Fi.
.
A empresa demonstrou que seus equipamentos podem transmitir energia para aparelhos portáteis, televisores e lâmpadas de luz com a adição de uma bobina de ressonância magnética. No momento, a empresa está desenvolvendo um carregador sem fio para veículos elétricos.
.
No futuro, existirão aplicativos implantados sob a pele para carga de aparelhos, afirmam os cientistas. De qualquer forma, o desafio atual é aumentar a potência das bobinas de ressonância para gerar campos magnéticos de maior alcance. Ou seja, gerar mais eletricidade a uma distância maior ainda.
.

Curiosidades na internet

Você sabe quanto dinheiro o Capitão América “custaria” se fosse real?

Acesse:http://www.megacurioso.com.br/cultura-nerd/42591-voce-sabe-quanto-dinheiro-o-capitao-america-custaria-se-fosse-real-.htm

Site faz estimativa considerando o super-herói como sendo uma pessoa de carne e osso

Fonte da imagem: Hot News TrailersVocê sabe quanto dinheiro o Capitão América "custaria" se fosse real?

Como você sabe, o novo filme do Capitão América — “Capitão América 2: O Soldado Invernal” — está com estreia marcada para o começo de abril. E como de costume já começam a circular as matérias comparando a ficção com a realidade, respondendo perguntas sobre como seria o soco de determinado super-herói se fosse real ou quanto custaria reconstruir as cidades destruídas nos longas se tudo acontecesse de verdade, por exemplo.

No caso que você vai conferir logo mais, trata-se de um vídeo postado pelo canalHot News Trailers do YouTube, no qual eles colocam na ponta do lápis os custos de armaduras, armas secretas, engenhocas e veículos que o Capitão América usa para combater o crime. Se você acha que essa conta não vai sair nem um pouco barata… Confira:

Você pode ativar as legendas em português no menu do vídeo ou conferir a descrição completa do conteúdo logo abaixo.

Curiosidades na internet