Projeto brasileiro ensina programação pela internet gratuitamente

Acesse:http://olhardigital.uol.com.br/pro/noticia/41208/41208

A busca desesperada por profissionais qualificados no mercado de tecnologia levou empresas nacionais a copiar uma iniciativa americana para incentivar os brasileiros a procurar este setor.

A Locaweb e a Caelum (que oferece cursos de programação) lançaram o Ano do Código, campanha semelhante à Code.org, que envolve nomes como Mark Zuckerberg e Bill Gates. Outras empresas daqui se envolveram com criação de conteúdo e divulgação, como GUJ, Alura, Globo.com, Code Miner e Casa do Código.

Como ocorre na Code.org, internautas são estimulados a ter contato com esquemas de programação de forma simples, com tutoriais e depoimentos em vídeo que ajudam a melhorar o entendimento das tarefas.

Nas aulas, o aluno usa blocos que simulam comandos de programação. No primeiro exercício, por exemplo, é preciso unir ações como “avançar”, “virar à direita” e “virar à esquerda” para mover um jogador de futebol pelo campo. Sempre que cumpre uma tarefa, o internauta pode ver o código que seria necessário para efetuar a ação.

São quase 50 etapas; quando conclui, o aluno pode procurar conteúdo de parceiros ou de iniciativas semelhantes, a exemplo da Codecademy. Clique aqui para conhecer o Ano do Código.

Curiosidades na internet

Projeto no Kickstarter quer criar primeiro tablet transparente do mundo

Acesse:http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/12/projeto-no-kickstarter-quer-criar-primeiro-tablet-transparente-do-mundo-veja.html

Um empresário israelense busca criar o primeiro tablet transparente do mundo, e quer a ajuda dos internautas para fazê-lo sair do papel. O Grippity, como foi chamado, depende da arrecadação dos fundos via crowdfunding no Kickstarter para ser lançado. Projeto é avaliado em cerca de US$ 200 mil.
Bill Gates levanta fundos para criar bateria de celular movida à urina

Tablet transparente precisa de US$ 199 mil para sair do papel (Foto: Divulgação/Grippity)Tablet transparente precisa de US$ 199 mil para sair do papel (Foto: Divulgação/Grippity)

Obviamente, o grande diferencial do tablet é o fato de ele ser transparente. Na verdade, o aparelho tem duas telas de sete polegadas semitransparentes sensíveis ao toque, uma na parte frontal, e outra na traseira, para criar seu efeito de transparência. O gadget tem um formato ergonômico para que caiba perfeitamente nas mãos dos consumidores, e funciona também como controle remoto para TV e DVD.

“É um tablet? Um controle remoto? Um controle de jogos? Um teclado para centrais de mídia? Isso é você quem decide. Assim como qualquer outro dispositivo inteligente, ele pode ser tudo isso e mais”, diz a descrição do Grippity no Kickstarter.

Além destas inovações, o tablet, criado por Jacob Eichbaum, de Tel Aviv, tem o hardware bem básico, com processador Cortex A8, 512 MB de RAM, 4 GB de memória interna (um slot para cartões microSD está incluído) e Android 4.2.2 (Jelly Bean).

A arrecadação de fundos para a produção do Grippity ainda não “decolou” no Kickstarter. Ele precisa de US$ 199 mil, porém até agora conseguiu somente US$ 22 mil, com ajuda de 125 internautas. Doações a partir de US$ 159 já bastam para ganhar um tablet.

Caso o projeto no Kickstarter dê certo, segundo o calendário dos desenvolvedores, a sua produção deve começar em setembro de 2014. A meta da “vaquinha virtual” está longe de ser batida, mas ainda faltam alguns dias para os interessados realizarem doações

Curiosidades na internet.

PRIMEIRO CÉREBRO HUMANO DIGITAL COMEÇOU A SER DESENVOLVIDO NA SUIÇA

Acesse:http://noticias.seuhistory.com/primeiro-cerebro-humano-digital-comecou-ser-desenvolvido-na-suica

cerebro-humano-digital-the-history-channel
A semana passada marcou o início oficial do Projeto Cérebro Humano, ou Human Brain Project, um estudo que terá como objetivo criar o computador mais poderoso do mundo, replicando o funcionamento de um cérebro humano. O investimento feito até o momento já ultrapassa 1 bilhão e 600 milhões de dólares, e o estudo será conduzido na Suíça.
.
O projeto conta com a participação de 135 centros de pesquisa europeus, transformando o desafio no mais ambicioso projeto científico da história. O objetivo é dissecar o funcionamento completo do cérebro humano e reproduzi-lo fielmente, desde seu genoma celular até os circuitos neuronais, incluindo todas as camadas e cada uma das zonas ou regiões cerebrais.
.
A princípio, o prazo estabelecido foi de 30 meses para que os cientistas envolvidos desenvolvam diferentes plataformas informáticas, onde os muitos testes serão realizados.
Espera-se que o novo supercomputador esteja pronto em 2016 e sua capacidade seja 1000 vezes mais poderosa que os atuais. Neste momento, a comunidade científica contará com microchips com estrutura e funcionamento semelhantes aos de um neurônio cerebral, que serão utilizados em uma nova geração de robôs inteligentes.
.
Veja o vídeo que explica o projeto (EM INGLÊS):

Curiosidades na internet

Google mostra ao Brasil projeto que dá acesso à internet por balões; leia entrevista com líder do projeto

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/tec/2013/10/1353192-governo-estuda-acesso-a-internet-por-baloes-do-google-leia-entrevista-com-lider-do-projeto.shtml

RAFAEL CAPAO ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, se encontrará nesta quarta-feira (9) em Brasília com um representante doLoon, projeto do Google que pretende oferecer acesso à internet por meio de balões que se deslocam na estratosfera.

O objetivo é discutir a adoção da tecnologia –que busca atender áreas remotas, zonas rurais e locais atingidos por desastres naturais– em regiões como a Amazônia.

Bernardo receberá Mohammad Gawdat, vice-presidente de inovação empresarial do Google X, divisão futurística da empresa onde foram gestados, além do Loon, os óculos inteligentes Glass e o carro sem motorista.

Em fase embrionária, o projeto realizou um teste piloto em junho, na Nova Zelândia. Os balões, que ficam a 20 quilômetros de altura, proveem acesso à rede com velocidade equivalente à do 3G.

Divulgação
Balão do projeto Loon, do Google, sobrevoa área remota da Nova Zelândia
Balão do projeto Loon, do Google, sobrevoa área remota da Nova Zelândia

“O Brasil é um dos países mais ativos na internet, mas a penetração da rede em áreas remotas ainda é muito baixa”, afirmou à Folha Mike Cassidy, líder do projeto.

“O território é enorme, há montanhas e florestas tropicais, então é difícil espalhar torres de celular pelo país. Há um grande potencial para a implementação do Loon.”

Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista com Cassidy

Cotinue lendo…clique aqui…

Curiosidades na internet

Banco Central lança novas notas de R$ 2 e de R$ 5

Acesse:http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/07/1318343-banco-central-lanca-novas-notas-de-r-2-e-r-5.shtml

As novas cédulas de R$ 2 e de R$ 5 foram emitidas Banco Central nesta segunda-feira (29).

Para facilitar a identificação de deficientes visuais, a nova nota de R$ 2 tem como marca tátil uma barra inclinada, enquanto a de R$ 5 possui uma barra horizontal. As novas cédulas também passaram por tratamento para aumentar sua vida útil.

As novas notas completam o projeto Segunda Família do Real, iniciado em 2010 com a substituição das cédulas de R$ 50 e 100, e depois ampliado para as notas de R$ 20 e R$ 10.

Divulgação
Nova cédula de R$ 5, que entra em circulação no segundo semestre
Nova cédula de R$ 5
Divulgação
Nova cédula de R$ 2
Nova cédula de R$ 2
 Curiosidades na internet

Conheça o Trace, projeto de ‘monitor esportivo’ para avaliar desempenho

Acesse:http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/08/conheca-o-trace-projeto-de-monitor-esportivo-para-avaliar-desempenho.html

Trace chega como projeto interessante ao Kickstater para atender a demanda de aplicativos e dispositivos para medir gastos de calorias e também o progresso em geral nas atividades físicas. A novidade do gadget é de servir não só para quem corre ou pedala.

Trace tem um design portátil e bonito (Foto: Divulgação)Trace tem um design portátil e bonito (Foto: Divulgação)

O produto é um pequeno acessório que pode ser acoplado a diversas superfícies com o adesivo semelhante ao utilizado pela câmera GoPro, de fácil colocação e remoção, para monitorar todos os importantes dados de skatistas, surfistas e atletas em geral que encontrem alguma superfície para acoplá-lo.

O Trace funciona com conectividade Bluetooth e envia os dados das práticas esportivas para aplicativos móveis de Android ou iOS. Serão disponibilizados três apps quando o produto for lançado: um para surfe, um para skate e um para snowboard, que são os principais focos da plataforma. Em cada um, há particularidades interessantes de acordo com o esporte praticado.

Veja o vídeo do projeto que é apresentando no Kickstarter:

Curiosidades na internet

Jovem de 21 anos vende aplicativo ainda não finalizado por quase R$ 56 milhões

Acesse:http://www.techmestre.com/jovem-de-21-anos-vende-aplicativo-ainda-nao-finalizado-por-quase-r-56-milhoes.html

Rapaz recém-formado trabalhou com uma equipe de 50 pessoas no projeto.

Lucas Duplan, de 21 anos, recebeu US$ 25 milhões (quase R$ 56 milhões) de investidores do Vale do Silício por conta de um aplicativo que desenvolveu juntamente com uma equipe de 50 pessoas.
.
O mais curioso nessa história é que o aplicativo ainda não está pronto. O engenheiro da computação conseguiu o dinheiro apenas com o protótipo do aplicativo testado por estudantes da Universidade de Stanford, onde o rapaz se formou recentemente.
.
Batizado de Clinkle, o aplicativo ainda não está bem definido sobre o que pode fazer. O site oficial ainda fornece poucos detalhes, mas se sabe que ele reconstrói uma carteira analógica do zero para levar o usuário ao pagamento do futuro. A ferramenta deve ser lançada no final do ano para versões Android e iOS.
.
“Nosso objetivo é modernizar a forma de pagamento. Queremos fazer com que seu telefone, pela primeira vez, rivalize com dinheiro e cartão de crédito”, relatou Duplan.
.
Jovem de 21 anos vende aplicativo ainda não finalizado por quase R$ 56 milhões
.
O estudante resolveu criar o aplicativo quando ainda era calouro e fazia uma viagem ao Reino Unido. Ele percebeu que podia utilizar aplicativos para diversas funções, menos para pagar um sanduíche. Depois que voltou para a Califórnia, o rapaz alugou uma casa em Palo Alto e liderou dez alunos no projeto.

Curiosidades na internet